Paladar

No balcão (e na mesa) do La Cepa

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

No balcão (e na mesa) do La Cepa

26 julho 2011 | 06:48 por Luiz Américo Camargo

Aconteça o que acontecer, segure sua ansiedade e não mexa na tortilla.

Quando você entrar no la Cepa, vai se deparar com uma notável e vistosa sequência de belos pintxos pelo balcão. Gildas (de piparra, azeitona etc; veja o post abaixo), chorizos, pintxos de bacalhau etc. Estes e muitos outros, você mesmo pega, basta solicitar um prato. Mas na tortilla de batatas, ali exposta numa generosa travessa,  ninguém põe a mão. Isso é uma missão que cabe só a Joaquín Pollos, o dono da casa. Não adianta nem rogar ao garçom que antecipe a tarefa. Você pede e, com toda a seriedade, o proprietário corta a fatia, que será devidamente acomodada num pratinho com um pedaço de pão. Aí você se diverte.

Fundado em 1948, o La Cepa fica lotado todos os dias. E não apenas prepara deliciosos tira-gostos, incluindo aí polvos, almôndegas e outras coisas mais, como é muito rigoroso na escolha de seu jamón, dos embutidos, dos queijos.

O balcão, obviamente, é onde se concentra o burburinho. Porém, num salão ao lado, ao qual se tem acesso pelos fundos da casa (ou por uma outra porta, na rua), o La Cepa serve pratos completos, como um restaurante. E divido aqui com vocês uma coisa que descobri ali, meio por acaso.

Minha filha estava cansada da bagunça dos bares, de comer de pé. Queria sentar numa mesa. Como os poucos assentos no ambiente do bar estavam ocupados, fui olhar a sala do restaurante. Havia mesas livres, e perguntei ao garçom se elas poderiam ser usadas por quem só quer comer pintxos, e não pedir pratos. Ele disse que não, mas me apontou a solução: duas mesinhas bem discretas, separadas das demais por uma espécie de cerca. Elas não tinham toalha nem cadeiras mais confortáveis (como as do comedor mais formal), eram uma espécie de extensão do território do bar. Ali, sim, poderíamos provar as pequenas porções.

E nos fartamos de várias coisas, entre as já relacionadas, além de sanduíche de chorizo, croquetes de jamón e, de sobremesa, uma excelente torta de queijo idizábal com calda de morango (as fotos acima).

Com sidra e água, a conta ficou em 40 euros no total (quase R$ 100). Uma média de trinta e poucos reais por cabeça para comer bastante e muito bem – com direito até a mesa.

La Cepa – Calle 31 de Agosto, 7 (na Parte Vieja), San Sebatián.