Paladar

Pa, pan, pain

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Pa, pan, pain

21 julho 2011 | 10:36 por Luiz Américo Camargo

Não que eu não tenha topado com pães ruins na Espanha. De fato, isso aconteceu. Mas os bons foram maioria, posso assegurar. E alguns, excepcionais. Falarei rapidamente de dois exemplos.

Em Barcelona, fazendo a linha “radical da fermentação natural e dos ingredientes orgânicos”, a Barcelona Reykjavik (acima) vende pães de aspecto rústico, por vezes bruto – no melhor dos sentidos – e altamente saborosos. Seus produtos são perfumados, complexos. Os tempos de fermentação, segundo o atendente, ficam por volta das 15 horas. E o nome do estabelecimento? Faz alusão à nacionalidade dos donos, o casal islandês David Nelson e Gudrun Margret. O lugar fez sucesso rapidamente e, hoje, tem três filiais, estratagicamente localizadas nos bairros do Born, de Gràcia e de Raval. O preço: por volta de 6 euros o quilo (no caso de pães de centeio, de trigo integral e que tais).

Indo agora para Madri: ainda que numa linha mais industrial, digamos, a filial da Le Pain Quotidien (foto abaixo), uma rede presente em vários países, serve também coisas muito boas. A baguette é leve e crocante, o pão ao estilo campagne tem miolo macio e crosta espessa. E seu croissant (1,80 euros) é digno dos melhores produtos parisienses, sem exagero. O lugar dispõe de dois ambientes. À frente, onde fica o balcão da padaria, estão também algumas mesas – incluindo uma mesa maior, comunitária – para tomar café e lanches mais rápidos. No fundo, há um misto de restaurante e bar de tapas, com pequenas porções e, obviamente, sanduíches, que destacam os pães feitos na casa.

 

Mas não foi só. Da baguette do mercado da Boqueria, na capital catalã, aos pães dos bares de pintxos, em San Sebastián, a qualidade média é bastante alta. Em suma, não é mesmo muito bom não precisar andar quilômetros (como fazemos aqui em SP) até um endereço específico só para achar um exemplar decente do mais essencial dos alimentos?

Barcelona Reykjavik – Carrer Princesa, 16 (Born), Barcelona.
Le Pain Quotidien – Calle Serrano, 27, Madri.

Ficou com água na boca?