Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

PF com decência

21 novembro 2014 | 00:34 por Luiz Américo Camargo

Ivan Achcar, chef do Alma e jurado do ‘Cozinheiros em Ação’, acaba de abrir o Alma Esquina, seu prometido bar/restaurante dedicado aos pratos feitos. O lugar ocupa uma casa no cruzamento das ruas Cayowaa e João Ramalho, tem ambiente despojado e atendimento sem salamaleques. No almoço, vigoram os Pfs, com alguns petiscos para entrada; à noite, os sanduíches e porções.

Sem pretensões, discursos ou tentativas de abordagens “gourmet”, o cozinheiro cumpriu o que anunciava antes da abertura da casa: fez do arroz com feijão (com farofa e batata frita, mais opções de proteína, e sempre antecedido por uma salada de alface, tomate e cebola) o protagonista do meio-dia; e a preços muito acessíveis, entre R$ 22 e R$ 25.

As porções são bem servidas, o tempero é bom, de feição caseira. Para além do “pratão” clássico, o Alma Esquina também propõe alguma sugestão extra, variável, mas sempre no mesmo patamar de simplicidade. Como a bananinha de costela (o corte quase cilíndrico – daí o nome – de contrafilé que se extrai do meio da costela) cozida com mandioca ou algum “bife” especial do dia. Mas tudo dentro do espírito da comida cotidiana.

Nada, nada, são iniciativas desse porte que, multiplicadas, ajudarão a distender os preços e trazer a experiência de comer fora mais para perto da normalidade. Projetos assim, somados aos bons menus executivos dos restaurantes, à nova leva de comida de rua (que ainda está cara), hão de quebrar a escrita de “qualquer almoço em SP custa R$ 100”. O novo estabelecimento de Achcar não é um endereço para grandes experiências gastronômicas, mas apenas para fazer uma refeição rápida com dignidade. Algo que se perdeu um pouco de vista nos últimos anos, quando até o trivial precisou ganhar ares de cozinha contemporânea e mesuras (e contas) de média restauração.

Fora isso, sem trocadilho (ou com, podem escolher) e sem nacionalismos ingênuos, creio que algumas almas da cozinha brasileira serão salvas cada vez que um novo restaurante de perfil mais trivial endossar o arroz com feijão e deixar de lado um pouco o salmão-com-molho-de-maracujá-e-risoto-de-funghi.