Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Quer rir?

25 abril 2009 | 14:43 por Luiz Américo Camargo

O garçom traz meu prato. Depois de várias garfadas, lá pela metade, aparece um cabelo, ali entranhado. Em dúvida, peço o cardápio, consulto: arroz, presunto etc. Na descrição, este ingrediente não é citado.
Informo ao garçom, na hora em que está recolhendo os pratos. Mostro o produto extra. “Ah”, ele faz, com espanto.
E, acreditem, na hora em que chegou a conta, estava lá o preço normal do prato, sem nenhum acréscimo pelo cabelo. Não é de uma generosidade e tanto? Me cobraram pelo risoto apenas o valor descrito no menu. O fio capilar de tamanho médio e ondulado era um mimo. E vejam, não foi coisa dos funcionários, à revelia do dono. Um dos sócios, na saída, comentou comigo o ocorrido. Ou seja: foi mesmo uma cortesia. Pessoal simpático, não?

Ficou com água na boca?