Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Russian pop songs

12 abril 2013 | 00:09 por Luiz Américo Camargo

Do que reclama o cantor? (A voz conduz a melodia numa entonação plangente, com um traço meio de mágoa…). Agora, do que se vangloria a cantora? (Ela parece estar dizendo algumas verdades a alguém… ou fazendo uma denúncia…). E esse quase rap, essa quase declamação, são de protesto,  ou satíricos…?

Já vou explicar essa conversa de doido do parágrafo acima. É a trilha do restaurante russo Camarada Bistrô, nos Jardins, tocada integralmente no idioma de Mister Putin (ok, ok, também de Tchekov e outras figuras mais legais). A música ambiente é toda importada, entre canções pop de estilo internacional-globalizado e temas com jeito um pouco mais folclórico, mais na linha balalaika. E é claro que – ao menos no meu caso – não dá para entender nada.

Na incapacidade de compreender as letras, resta prestar atenção à  linha melódica, nos arranjos, na interpretação vocal. Uma situação, que talvez nos remeta a outros tempos. Lembro de, muito pequeno, ter uma memória das músicas em inglês que tocavam no rádio. Sucessos de Elton John, Cat Stevens (ops, sorry, Yusuf Islam), Don McLean, sei lá mais quem. Ideias e situações que pareciam muito importantes e candentes, mas cujo significado me escapava. E eu ficava apenas imaginando que segredos continham aquelas canções. O pior (ou o melhor) foi crescer e, anos depois, descobrir que eram apenas silly pop songs… Mas também, convenhamos: será que eu achava que algo como Crocodile Rock era mesmo para valer?

Enfim, curiosamente a refeição ao som do hit parade russo me fez sentir assim. Vale a pena o programa? Estando lá, é divertido, inclusive para tentar pescar alguma palavra conhecida (spaciba! tovarich!). Ou para se perder naqueles fonemas que parecem português quando gravado e executado ao contrário (já tentaram?). Porém, nada que mereça uma visita exclusiva – a comida, por enquanto, não inspira muito.

Ficou com água na boca?