Paladar

Sem máscaras

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Sem máscaras

18 agosto 2010 | 00:13 por Luiz Américo Camargo

Neste último post sobre Veneza, relato outra experiência positiva. Trata-se da Enoteca La Mascareta, um bar de vinhos com umas poucas (e boas) coisas para comer. Quem cuida do lugar, com extremo esmero, é a figuraça Lorenzon Mauro. Alto, bigodudo, usando gravata borboleta e tênis Allstar (um de cada cor, porém), é ele mesmo quem serve as mesas, anunciando pratos e recomendando tintos, brancos e que tais – fui pesquisar, o homem realmente tem prestígio na Itália como conhecedor de vinhos. 

IMG_0696

Começamos a refeição com uma seleção de frios e embutidos, todos ali do norte da Itália. E pedimos alguns pratos de massa, todos bem executados (acima, o paccheri – uma pasta larga, de origem napolitana – com pesto e botarga), sem maiores firulas. Contudo, visitar a Mascareta vale mesmo se você estiver com vontade de provar vinhos italianos. A variedade é grande e, a seleção, feita pelo proprietário, é criteriosa.

A sugestão do signore Mauro foi das mais felizes: refiro-me ao Prosecco da foto abaixo, que é natural e vem de um pequeno produtor da região, a Azienda Costadilà. O vinho (20 euros) foi servido numa taça de Borgonha branco – a meu ver, muito melhor para bons champanhes e espumantes mais elaborados do que a flüte – e mostrou uma complexidade surpreendente. De Prosecco, em geral, eu espero não muito mais do que frescor, boa acidez. Este, no entanto, ia bem além.

IMG_0692

O La Mascareta costuma encher, e isso acontece com toda justiça. O jeito, então, é chegar cedo, quando abre (19h), ou voltar depois do horário de pico, para um visita mais tardia (funciona até às 2h).

Enoteca La Mascareta – Castello 5183, Calle lunga Santa Maria Formosa, 00 39 041 523 0744