Paladar

Só uma bodega

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Só uma bodega

06 agosto 2011 | 19:32 por Luiz Américo Camargo

Talvez seja um exagero, uma peça pregada pela memória, uma idealização. Mas, olhando aqui, já com certo distanciamento, eu diria que seria capaz de passar um mês comendo diariamente na Bodega Donostiarra, em San Sebastián.

Trata-se de um bar/restaurante fundado em 1928, que serve pintxos, grelhados, porções. Ele está fora da Parte Vieja da cidade, fica no bairro do Gros. A poucos metros dali há um estabelecimento de mesmo nome, que funciona como uma espécie de loja e depósito de bebidas. Não se confunda, portanto: o nosso lugar em questão fica no número 13 da Calle Peña y Goñi.

Ainda que muita gente (especialmente quem trabalha nos arredores) coma e beba na balcão mesmo, de pé, o mais recomendável é pegar uma mesa e pedir à la carte, calmamente – já que os pratos quentes são feitos na hora.

Provamos várias coisas, e tudo era de alto nível. Começando pelos vinagres (no alto), a porção mista de conservas contendo bonito, guindillas, anchova, cebola, azeitonas; e por uma belíssima salada de tomate “con el mejor tomate que puedas encontrar”. Seguindo pela tortilla de batatas (logo acima), por huevos a la brasa (com batatas e jamon) e por um magnífico espeto de polvo e camarões (abaixo), igualmente preparado na brasa – o polvo, era tenro, de sabor intenso; os crustáceos estavam quase crus, eram puro frescor.

O serviço não tem grandes formalidades, é simpático e eficiente. Com um copo de vinho txacoli, outro de cava, mais água, a conta saiu por 46 euros.  O tipo de refeição para você sair caminhando feliz, assobiando, decidindo apenas se vai passear pela praia ou pelas margens do Urumea.

Bodega Donostiarra – Calle Peña y Goñi, 13, San Sebastián. Tel. 943 011 380 (fecha dom.)