Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Tentar, errar, comer

18 junho 2011 | 10:42 por Luiz Américo Camargo

Sobre inspiração, transpiração e aquelas questões de sempre.

A maioria já sabe que as coisas não se criam só a partir de uma ideia fantástica, mas do trabalho duro. Eis aqui uma explicação rápida de Ferran Adrià sobre o processo de criação no Bulli (que vai entrando no último mês de atividade como restaurante):

“É basicamente tentativa e erro. Se você tem uma ideia, vai tentando até funcionar. Nós não criamos pratos. Eles afloram de novas técnicas e conceitos, um novo produto, uma nova linha filosófica. É como um edifício. Começamos com o material, e trabalhamos pouco a pouco. Se cometemos um erro, mudamos no dia seguinte.”

A frase foi dita numa recente entrevista para a Harvard Business Review. Como se sabe, o chef é um dos professores da universidade americana. Seu curso trata de “física na cozinha”, dentro da escola de Engenharia e Ciências Aplicadas.

Gênios, em resumo, podem ser tudo: complicados, egocêntricos, desfuncionais, difíceis, descompensados. Mas, preguiçosos, jamais.