Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Mas que teimosia

10 abril 2009 | 22:49 por Luiz Américo Camargo

Por que o Pilico e a Bia resistem tanto em montar um restaurante de verdade? Não sei, e nem eles sabem explicar direito. Medo do sucesso? De abrir mão da simplicidade? O fato é que, com frutos do mar em geral, e nas moquecas em particular, eles são craques. Entendem do produto e cozinham com talento. Almocei lá e, como sempre, a moqueca de camarão (o grande, R$ 37 por pessoa; há opções de cinco tamanhos, escolhi o intermediário) estava uma delícia: leve, perfumada, com crustáceos no ponto exato de cocção. Eles atendem em sua casa, não têm serviço, seu esquema é todo amadorístico. Mas o que vai no prato é muito bom. Não por acaso, venceram o primeiro Prêmio Paladar, em 2006, na categoria Frutos do Mar. Se você quiser ir (R. Diogo Moreira, 296, Pinheiros, 3814-2283), saiba que o único jeito de não amargar uma tremenda demora é ligar antes, reservando o lugar, marcando hora, escolhendo o prato antecipadamente. Aí funciona melhor. Releve o fato de ter que buscar você mesmo copos e bebidas e aproveite – até porque é barato.
Por que raios não se profissionalizam para valer?

Ficou com água na boca?