Paladar

Luiz Horta

Basset é o melhor

17 abril 2010 | 02:51 por Luiz Horta

Gérard Basset venceu o torneio para melhor sommelier do mundo, esta semana, em Santiago do Chile. Prometo só fazer uma piada com o nome dele. Os bassethounds são ótimos farejadores…
Smooth-coated_French_Basset_Hound_from_1915
[Ops, basset errado]

Basset, nascido na França, é proprietário, com a mulher, de um hotel no interior da Inglaterra. Além de melhor do mundo, ele já era Master of Wine e mais um monte de títulos. Imagine dividir um singelo tinto com ele?
Gerard_Basset_EU
[Gérard Basset na sua foto oficial do Institute of Masters of Wine. Mas bem pode ser um dos irmãos Dupond e Dupont de Tintim]

Este concurso é a coisa mais estafante possível. Espécie de triatlo da sommelerie, em que os concorrentes precisam saber detalhes além da capacidade humana. Lembro, numa viagem pelo Wachau, 3 anos atrás, o atual presidente da associação de sommeliers da Argentina contando as provas que tinha enfrentado uma semana antes na Grécia, na edição anterior do campeonato (quando venceu Andreas Larsson, que esteve aqui recentemente). São loucos.

O relato detalhado está aqui, num ótimo artigo do PlanetaVino.
Acho divertido tudo isto, mas desnecessário, que importa ser o melhor sommelier do mundo? Basta conhecer bem sua carta, servir com fineza, oferecer surpresas e deleite nas harmonias com a comida. Nariz absoluto, conhecimento enciclopédico infálivel e espírito de sabe-tudo são coisas aborrecidas. Aborrecimento é o anti-vinho. Mas tem doido para tudo.