Paladar

Luiz Horta

Carne e Malbec

10 janeiro 2009 | 04:15 por Luiz Horta

Fui com meus amigos, Françoise e Simon, comer na ótima churrascaria (casa de carnes? Parilla?) Pobre Juan da Rua Tupi. Nos entusiasmamos com uma brincadeira: pedir e comparar os cortes chamados La Bombonera e Monumental de Nuñez. Um Boca X River na grelha. Para minha (disfarçada) alegria alvirrubra não fazem mais a primeira. Comemos então um asado de tira e a carne homenagem ao River. Ambas deliciosas. Mas o assunto é vinho.

Primeiro, com boas empanadas, o Les Terres Salées de Christophe Barbier. Vinho branco bem peculiar, ótima acidez, corpo elegante, madeira equilibrada. Confirmou a boa impressão anterior, numa recente prova: esta uva quase desconhecida do sul da França, a Borboulenc, é notável, fresca e sólida ao mesmo tempo. Aguentou até o fim, cada cheirada um aspeto novo, aroma de abacaxi em compota, frutas cítricas, um traço de favo de mel, outro de cera de abelha. Mineralidade que parece um seixo lambido.

Mas o melhor estava por vir, um Malbec de Cahors. Aquela aula de fruta e violetas, intenso, acidez equilibrada, potente sem desarmonia. Que linda é Cahors! A Argentina não destoa, Cahors contém o Malbec argentino e os vinhos argentinos mostram bem a tipicidade da uva do sudoeste francês. Falta um tico de tempo, história, experiência aos platinos. É verdade que este Château Lagrezette é moderno, tem consultoria de Michel Rolland e não apresenta a difícil rusticidade de outros vinhos da região. Mas, e daí? Qual o problema se Novo e Velho Mundo se encontrarem na garrafa, se cada um ensinar ao outro suas melhores qualidades?

Um vinho assim tão bem feito anima à generosidade. O casal na mesa ao lado bebia um Salentein. Preferi pensar que um dia o mendocino será como o de Cahors. Que todos entenderemos a complexidade. Que haverá uma espécie de Pax vinícola. Que reinará a alegria de casar boa carne com bom Malbec. E que os Malbecs da Europa e da América terão igual seriedade. E…amén.

A nota destoante: os dois vinhos custaram pouco, 25 reais o primeiro, 36 reais o segundo. Só que vieram na minha mala.