Paladar

Luiz Horta

Designs que não vêm para o bem

30 janeiro 2013 | 20:35 por Luiz Horta

FOTO: Filipe Araújo/Estadão

A garrafa do Argenta merece um registro. É bem bonita vazia: vira um vaso elegante e vai enfeitar muitas mesas. Um belo trabalho de design em vidro. Mas será um terror para os sommeliers (escorregou, quando gelada, várias vezes da minha mão) e faz pensar na desnecessidade dessas criações de departamentos de marketing.

Jovens vinícolas caem nessa; mesmo velhas empresas tropeçam na desenhite. Acham que se modernizarem a embalagem atrairão essa entidade abstrata, os jovens. Mas os jovens parecem estar em busca de preço baixo e álcool alto, ou seja, de vodca.

+ E quem liga para a pronúncia?

Já passaram pelo momento garrafa exótica a própria Valduga e a Pericó, só para mencionar duas nacionais, que caíram na real e voltaram para os formatos convencionais.

O Argenta é bom e poderia dispensar o chamativo da embalagem exótica, confiar no líquido para conseguir mercado. A qualidade do vinho segura o que vale.

Ainda não desisti da ideia de ampliar esta degustação, com os vinhos que não consegui provar.

>> Veja todos os textos publicados na edição de 31/1/13 do ‘Paladar’

Tags:

Ficou com água na boca?