Paladar

Luiz Horta

Esbarrão

28 agosto 2009 | 08:25 por Luiz Horta

Os melhores livros nos acham. Isto vale para tudo, além de livros. Dos encontrões, esbarrões e tropeções é que temos as melhores experiências na vida. Serve para vinhos idem, para restaurantes, tudo.

Um amigo (conhecido no susto também, ilustrando ainda mais a mini-tese, via twitter) estava em San Francisco. Fui procurar na internet o endereço da City Lights para ele, a mais famosa livraria da cidade, enclave beat histórico.

No site anunciavam um “The importance of being Iceland”, de uma certa Eileen Myles. Nunca tinha ouvido falar, mas comprei pela promessa de esquisitice: ensaios sobre arte e viagem misturando a Islândia real com uma metáfora americana da ilha gelada.

Chegou junto com outros 11 livros, muito mais desejados e escolhidos. Saltou na frente na leitura e não consigo largá-lo. Diz coisas assim: “viagem não é sobre transcendência, mas sobre imanência. Viajamos para ficar aqui”. Como eu sei dolorosamente isto! Detesto viajar, mas passei a vida indo, preciso, para aguentar o aqui e agora, qualquer aqui, qualquer agora.

Livrinho supimpa por R$ 47 reais. O vinho da semana foi um livro…

Ficou com água na boca?