Paladar

Luiz Horta

Momento desabafo

13 janeiro 2009 | 13:05 por Luiz Horta

Começaram as promoções, liquidações, descontos. Todo ano este é o momento de comprar algumas garrafas. Vou fazer uma lista de todas as ofertas que tenho recebido e quais as boas chances de economia real. De cara vejo as taças Riedel com um bom desconto na Expand, para quem quer ter uma dúzia de bons copos de vinho, eis a oportunidade.

Mas sempre que chega esta época do ano, o demônio meridiano se esgueira para meu espírito e coloca a pergunta: “se eles vendem a este preço e continuam tendo lucro…porque será que não vendem sempre a este preço?”.

Leitor do Glupt! preste atenção. Olhe o preço do vinho que pretende comprar no google, winesearcher, lojas estrangeiras (Lavinia por exemplo). Multiplique por 2, ou até 3. Se ainda assim estiver mais caro que isto, não compre. Simplesmente não compre, você está sendo, digamos, errr…bem…roubado.

Com impostos e tudo mais, um vinho sai do produtor a 5 euros, chega na loja em Paris, Madri, Londres, Chicago a 10 euros e ao amável e riquíssimo brasileiro a 30 euros, daí para cima. Que docilmente paga. Não mais. Acho que chega.

Não importa se a culpa é dos impostos ou do lucro excessivo do vendedor, ou de ambos. Importa que pagamos o vinho mais caro do mundo, inclusive os nacionais, que se aproveitam disto e enfiam a faca no consumidor, em nome da indústria nacional. Todo vinho no Brasil -feito aqui ou importado- está caro, muito caro. Dá para contar nos dedos de uma mão os de preço adequado. Como é que fica?

Ficou com água na boca?