Paladar

Luiz Horta

No mercat, na cidade mais querida

28 agosto 2010 | 03:23 por Luiz Horta

Publicado no Paladar de 26 de agosto de 2010
Na Boqueria nem precisa comprar: basta acariciar com os olhos

Barcelona é um lugar ambíguo. Como acontece em locais gastos demais pelo turismo, como Ouro Preto, Veneza ou Óbidos, é estranho que alguém more mesmo ali, além da pura cenografia.
La Boqueria é um mercado para ver, mas é um local de comércio para quem vive no bairro (sim, apesar de toda a muvuca das ramblas, a região ainda é um bairro). É um local de atração turística tão forte quanto as obras de Gaudí. Você visita a Sagrada Família para venerar a imponência espiritual da catedral. E entra na Boqueria para reverenciar os produtos. Eu comprei pouca coisa lá. Quando estou em Barcelona compro no Sant Antoni e como no Santa Caterina (com o telhado mais bonito que a arquitetura contemporânea já fez na cidade, de Enric Miralles), onde ficam bares modernetes de tapas.
Ir à Boqueria é mais para o food porn, acariciar com os olhos as frutas, os peixes, a banca do senhor Salvador com as melhores caças da cidade, dependuradas de ponta cabeça, verdadeira natureza morta que são, suspirar pelas lebres dos Pireneus com sua promessa de lièvre a la royale no Drolma. Fazer uma genuflexão diante dos bolets, alguns dos 348 cogumelos comestíveis da Catalunha. Até que uma velhinha de preto com seu carrinho, mal-humoradíssima como são deliciosamente essas catalãs, me empurre para o lado e de volta ao mundo real, afinal La Boqueria é um mercado, não uma catedral.
As caças de Salvador
São as melhores da cidade
No Mercat San Josep (La Boqueria)
Rambla 85-89, 00/xx/34/ 93 301 2590

Ficou com água na boca?