Paladar

Luiz Horta

No pasarán

16 abril 2009 | 05:02 por Luiz Horta

Convenhamos, Robert Parker não entende nada da Rioja. Nada.
Felizmente ele está encolhendo, cada vez comenta menos países e é preciso ser muito tolo para seguir suas opiniões. Estou de bode.

Anotação mental: fazer uma grande degustação comparativa de Riojas, dos verdadeiros, que podem até ser modernos (como Finca Valpiedra), meio modernos sob controle (meus estimados Remelluri, Contino, Viña Real) ou antigões e de estirpe (Muga, Tondonia, os Murrietas e Riscal do estilo eterno e boa parte dos CVNE Imperial).

Só não podem ser uma destas caricaturas deformes de vinhos, Roda, Artadi,estas coisas que parecem shampoo, detergente. Vinhos ciganos que poderiam ser feitos em qualquer lugar do planeta, sem caráter, sem raiz e sem expressão.

[Meu amigo Alexandre Bronzatto me lembra, que horrível omissão minha, dos vinhos da La Rioja Alta (não da região, da vinícola), que certamente estão entre os melhores. Obrigado, anotado]

Que ódio quando “eles” invadem o meu território!