Paladar

Luiz Horta

O mais antigo vinho

01 abril 2009 | 20:00 por Luiz Horta

Uma sensacional descoberta arqueológica aconteceu hoje, suas consequencias para a história do vinho ainda não estão claras.

[uma das garrafas que irão a leilão em novembro]

Durante as preparações para a próxima Loya Jirga no Afeganistão, a vibração de 5730cadeiras sendo arrastadas no chão batido do deserto, para acomodar os Senhores tribais afegãos, revelou uma adega enterrada em plena areia.


[Grupo de amantes do vinho da Associação de Colecionadores do sul do Tirol junto ao lugar da descoberta]

[Sommelier decanta uma das garrafas milenares, para ser degustada por Michael Broadbent]

Era uma caixa de garrafas muito antigas, quase sem rótulo. O especialista britânico Sir James Patterson, KBE que estava na região foi chamado e declarou serem garrafas de mais de dois mil anos de idade.
O tesouro foi levado por ele até Michael Broadbent em Londres, que abriu uma das garrafas.

O líquido marron escuro com toques violeta e púrpura, aromas de poeira, leite e mel e fortes toques de maná, com passagem por tonéis de carvalho asiático e mesopotamico, com taninos secantes e retrogosto centenário pareceu ao grande degustador um vinho bem antigo, “o mais antigo que já tomei”, revelou. “Parece um Shiraz bíblico, mas não sei dizer se do Velho ou do Novo Testamento” completou estupefato.

[Sir James Patterson, KBE,British Academy of Science, grande arqueólogo e afeganólogo britânico, lavando papiros sujos no Eufrates]

Uma gota foi mandada analisar e se tratava de uma uva já extinta, a Cabernoé da Babilonia, cujos traços tinham se perdido desde a praga da filoxera de 200 antes de Cristo.

Mas o mais sensacional ainda viria. Removida a sujeira das garrafas uma delas ainda tinha rótulo. Que dizia: Cuvée Canaan, anforado no Domaine Judá, Zebedeu e filhos, e filhos de filhos e filhos de netos e filhos de bisnetos, millésime 35 a.C, D.O.Arimatéia.

E o contra rótulo esclarecia: vinho de bodas, fruto da transformação de água em vinho usando leveduras sobrenaturais. Beba sem moderação, sempre tem mais. Preço sugerido de varejo: 30 dinheiros.


[Sir Michael Broadbent, diretor de vinhos da Christie’s]

O caso promete desdobramentos. O fabricante de cristais Georg Riedel lançou um novo decanter, o “Cafarnaum” e uma linha de taças, a “Lazarus” especialmente desenhados para a completa apreciação de vinhos com mais de dois mil anos de idade.

[Taça Riedel sem pé da linha Lazarus]

[Decanter Cafarnaum de Riedel, em ardósia de Ur, cidade da Caldéia com duas letras]

Ficou com água na boca?