Paladar

Luiz Horta

Um rebelde gentiluomo

10 abril 2013 | 22:00 por Luiz Horta

Um paradoxo: poder dizer que um conservador foi revolucionário – apenas por ter teimado em continuar o que era bom, sem mania de mudança. Franco Biondi Santi, um dos maiores nomes dos Brunellos de Montalcino, morreu esta semana aos 91 anos, e foi o maior revolucionário da região toscana por ter perseverado em não modernizar seus espetaculares vinhos.

Franco Biondi Santi (1922-2013). FOTO: Divulgação

Recusou o uso de barricas novas de carvalho, evitando mascarar as virtudes naturais da casta Sangiovese, lutou contra a introdução de variedades estrangeiras nos seus vinhos. Durante a guerra, emparedou com o pai safras que vinham desde o século 19. Em vertical de cem anos de produção, a revista Decanter atribuiu nota máxima ao Brunello Biondi Santi, safra…1891!

Esse turrão amável era, no dizer de todos os necrológios aparecidos na imprensa especializada, antes de mais nada, um gentiluomo del vino. A importadora Mistral (tel. 3372-3400) tem disponíveis, algumas garrafas dos Brunellos Riserva 2005 (R$ 755) e 2004 (R$ 2.785). Para quem quiser homenageá-lo da melhor maneira: bebendo.

>> Veja todas as notícias da edição do Paladar de 11/4/2013

Tags:

Ficou com água na boca?