Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

Armazenada x envelhecida x premium: sim, são cachaças diferentes!

A primeira vista pode parecer a mesma coisa. Mas são bem diferentes e vou explicar porquê

07 outubro 2016 | 19:54 por Mauricio Maia

Aposto que todos vocês já ouviram falar de cachaça envelhecida, armazenada, premium, extra-premium… Mas que poucos sabem que esses termos são mais do que chamarizes nos rótulos. Eles são, na verdade, definidos por lei.

Como falei em meu primeiro post, a produção da cachaça obedece a uma legislação detalhada e rigorosa. A principal de todas as leis e regulamentos hoje é a Instrução Normativa Nº 13 de 29 de junho de 2005 do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que em seu anexo traz o “Regulamento Técnico par Fixação dos Padrões de Identidade e Qualidade para Aguardente de Cana e para Cachaça”.

Além das definições de padrões de qualidade e de composição química, esse regulamento apresenta as definições de “Cachaça Envelhecida”, “Cachaça Premium” e “Cachaça Extra-Premium”.

Afinal, o que é cada uma delas? Vamos às definições:

 

Barris de 200 litros.

Adega de envelhecimento com barris de 200 litros. FOTO: Mauricio Maia/Acervo Pessoal

Pelo item 2.1.2., “cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente de cana produzida no Brasil, com graduação alcoólica de 38% a 48% em volume a 20ºC, obtida pela destilação do mosto fermentado do caldo de cana-de-açúcar com características sensoriais peculiares, podendo ser adicionada de açúcares até 6 gramas por litro, expressos em sacarose.”

Pelo item 2.2.7, para ser chamada de envelhecida, a cachaça precisa ter, no mínimo, “50% de cachaça ou aguardente de cana envelhecida em recipiente de madeira apropriado, com capacidade máxima de 700 litros, por um período não inferior a 1 ano”.

O item 2.2.9 define como premium a bebida que é “100% de cachaça ou aguardente de cana envelhecida em recipiente de madeira apropriado, com capacidade máxima de 700 litros, por um período não inferior a 1 ano”.

E, por último, pelo item 2.2.11, cachaça extra-premium é como a premium, mas envelhecida por pelo menos 3 anos.

Dessa forma, qualquer cachaça que ficar no barril por menos de 1 ano ou ficar o tempo que for em barris de mais de 700 litros não pode ser chamada de “envelhecida”, “premium” ou “extra-premium”. E são estas cachaças, que não se enquadram em nenhuma das três definições, que normalmente são chamadas de “armazenadas”.

Visual e sensorialmente, as cachaças envelhecidas costumam ser mais intensas de que as armazenadas, mas isto não é uma regra, pois depende de vários fatores, como a variedade da madeira do barril e a sua idade. Mas isso é assunto para um outro post.

Portanto, sempre que você ler em um rótulo “armazenada” é porque, apesar da cachaça descansar por algum tempo de barris de madeira, ela não corresponde a nenhuma das definições legais acima. É só se lembrar destas características e comparar com as informações do rótulo, que podemos ter uma boa orientação sobre a bebida que estamos prestes a provar ou adquirir. Costumo dizer que é nesta hora que começa a degustação!

Saúde!

Tags: