Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

Já tomou uma aguarraz? E uma cruaca? Conheça diversos nomes da cachaça

A cachaça tem mais de três mil apelidos registrados, que mostram com a bebida é parte indissociável da cultura brasileira

02 dezembro 2016 | 19:20 por Mauricio Maia

São mais de três mil variações já registradas por Mario Souto Maior em seu valioso livro Dicionário Folclórico da Cachaça. Desde nomes como berdoega até o popular pinga, a cachaça mostra através de todos esses apelidos que está intrinsecamente ligada às tradições populares e é uma parte indissociável da cultura brasileira.

Uma pergunta recorrente é: “Mauricio, qual a diferença entre cachaça e pinga? ” E minha resposta é sempre a mesma: “Duas letras!” Sim! É muito comum acharem que cachaça é a bebida de boa qualidade e pinga é reservado a bebidas ruins ou ainda para a cachaça de coluna (industrial). Mas não, cachaça e pinga são a mesma coisa. Cachaça é o nome de batismo e pinga o apelido de infância, que inclusive uso bastante para se referir à nossa abençoada. A balduína, a dá-coragem, a zombeteira ou a levanta-saia.

 

Estante de cachaça

Coleção de cachaças do Museu da Cachaça da Vale Verde, em Batim/MG. FOTO: Mauricio Maia/Arquivo Pessoal

 

Muitos desses nomes são bastante regionalizados e conhecidos somente na região de seu uso. Outros são mais famosos e já se espalharam por todo o país. Apesar dessas diferenças, é sempre comum notar o carinho e o bom-humor com que nossa chimbira é chamada, sem falar que muitos desses apelidos acabaram virando marca, como a Bendita, a Delicada ou a Matraga.

Abaixo listo alguns do nomes que já achei:

A: abençoada, abraçadeira, abrideira, afamada, apetitosa, arranca-bofe, arrepia-cabelo, arrupiada, arruaceira e atitude.

B: balduína, beijo-de-copo, benza-a-deus, berdoega, bigorna, bibiana, boneca, briosa, bragantina e bruta.

C: cabeçada, canforada, caniniana, capote-de-pobre, carinhosa, cara-feia, cascabuio, cascatinha, cristalina e cotuvelada.

D: dá-coragem, depravada, desespero, desperta-paixão, diamantina, difusora, dilema, distinta, delírio e destronca-peito.

E: encantada, encorajadora, enfeitiçada, encurta-caminho, entorta-cano, escorrego, espertadeira, enrola-chifre, espoleta e esquenta-alma.

F: faceira, faceirinha, falante, fedegosa, feiticeira, furibunda, fumegante, flechada, forasteira e fuzarca.

G: garapa, gasolina, generosa, granada, gravatinha, girita, gostosa, gracinha, gemada e girassol.

H: hidrolitol, hidratada, homeopatia (aqui não consegui listar 10. Por favor mandem suas colaborações!)

I: indigna, inchadeira, infernal, ispiração, ipuçaba, intrometida, imaculada, imbiriba, imbicadeira e isca.

J: jabiraca, janduína, jeitosa, jovial, jiribita, Januária, jura, jurema, juçara e junça.

L: lamparina, leitosa, limpa-trilho, laxante, lenhada, levanta-a-saia, ligeirinha, lubrificante, loirinha e luminisa.

M: maciça, malunga, maçaranduba, marafo, malvada, mamadeira, matraca, matinal, mata-vergonha e moça branca.

N: néctar, nociva, novata, negrita, nordígena, número-um, nó-cego, nó-de-aço, não-sei-que e noturna.

P: paliativo, passa-dor, pílula, penicilina, parati, parnaíba, patrícia, pechincha, petróleo e pinga.

Q: Quartota, quebra-costela, queima-roupa, queixada, quinaquina, quizila, quebra-munheca, quindim, quebra-goela e querida.

R: rabugenta, receia, reforçada, rebatida, revezada, roedeira, reza-forte, rama, remédio e ripa.

S: samba, santinha, santo-onofre-de-bodegas, sinhazinha, sete-virtudes, sumo-de-cana, suor-de-alambique, saborosa, sal-de-fruta e sedutora.

T: tacada, tagarela, trombada, tremedeira, tenebrosa, tira-frio, tira-medo, teimosa, tiúba e teimosa.

U: uca, uma, unganjo, urina-de-santo, usga, uma-para-subir-a-pressão, uma-quente, uma-da-boa, unganga, uísque-brasileiro.

V: valentona, vermífugo, vertente, virtude, viúva-alegre, vexadinha, vaivém, venenosa, virgem e veterana

X: xavielada, xaropada, xinabre, xamêgo, xarope-galeno, xinapre, xarope-dos-bebos, ximbica, xambaba e xinxim.

Z: zombeteira, zunzum, zuninga e zurrapa (aqui também faltaram algumas).

 

Seja carinhoso, sarcástico ou bem-humorado, todos os apelidos refletem a alma e a personalidade do brasileiro. Divirta-se, chame como desejar, mas tome sempre uma boa cachaça de alambique. E numa roda de amigos.

Você conhece algum outro apelido da cachaça? Deixe aqui nos comentários!

Saúde!

 


SERVIÇO

Na próxima terça-feira (6), será realizado o 13º Encontro Aberto da Confraria Paulista da Cachaça. Além de participar de palestras e degustações, o ingresso (R$ 40) dá direito a degustar até 10 rótulos que estarão à disposição dos participantes.

O evento será na Fellows House – Rua Harmonia, 354, Vila Madalena) a partir das 19h. A palestra começa às 20h. Durante o Encontro, haverá o BAZAR com venda de Cachaças lacradas e abertas por até 25% do valor de mercado.

Tags:

Ficou com água na boca?