Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

O desafio do ‘blend’ na produção de cachaça

Como a técnica criada pelos escoceses pode ajudar a melhorar a bebida brasileira, especialmente ao aprimorar o acabamento de cachaças envelhecidas

21 dezembro 2016 | 20:18 por Mauricio Maia

Um dos últimos tabus na produção de cachaça artesanal é a utilização da técnica de blend. Juntamente com a adoção de novas tecnologias, a utilização dessa técnica, que significa literalmente “mistura” em inglês, continua gerando algumas polêmicas.

Apesar de utilizada em larga escala na produção de diversos destilados – é a base da produção do uísque escocês (Blended Scotch Whisky) –, ela nunca foi bem aceita entre os produtores de cachaça artesanal, seja por falta de pesquisa ou por preconceito pelo fato de ser uma técnica europeia, ou por acreditarem na máxima de que “cachaça não é uísque”. E não é mesmo, é melhor! Por que não aprender com as experiências e práticas bem-sucedidas de outros destilados?

Porém, esse cenário tende a mudar conforme novas pesquisas são divulgadas e produtos “blendados” de excelente qualidade ganham o mercado – cachaças únicas, sofisticadas e singulares. Através da mistura de aguardentes envelhecidas em diversas madeiras e cachaças puras é possível aprimorar o sabor e o buquê de sabores e aromas da bebida, destacando exatamente as melhores características de cada madeira, a sua suavidade ou uma nota específica de aroma e sabor.

Os “master blenders” escoceses estudam as misturas de diversos maltes, de diferentes destilarias e idades, durante anos para a cada safra reproduzirem as mesmas características de sua marca, mantendo o padrão de qualidade, sabor, aroma e personalidade, como se fosse uma assinatura.

 

Cachaça Authoral

A cachaça Authoral leva a mistura do líquido armazenado em barris de quatro madeiras diferentes. FOTO: Divulgação

 

Aos poucos, os produtores de cachaça começam a pôr em prática essas técnicas, aliadas a pesquisas sobre as madeiras brasileiras desenvolvidas durante anos em laboratórios e universidades. Passam a valorizar também experiência de profissionais vindos de outros mercados que adaptam seu conhecimento para as especificidades da produção de cachaça. Com isso, melhoram processos e superam barreiras que, muitas vezes, não eram transpostas por pura falta de iniciativa e conhecimento.

Experiências de sucesso como as edições da Cachaça da Tulha Edição Única e a Authoral, de Brasília (DF), despertam a atenção de outros produtores que prometem para breve o lançamento de mais opções no mercado nacional. A Authoral mistura líquidos armazenados em barris de carvalho francês, carvalho americano, bálsamo e cerejeira pelo sistema de “solera” para formar um blend diferenciado e macio.

Estamos vendo a evolução de um produto que ganha popularidade e admiradores a cada ano que passa. Isso é bom para todos: o mercado, os produtores e para nós, bebedores.

Saúde!

Tags:

Ficou com água na boca?