Paladar

Cozinha do Brasil, convidados do mundo

Cozinha do Brasil, convidados do mundo

02 abril 2013 | 02:23 por Cibele Freire

Ben Mackinnon

Ben Mackinnon com seus pães orgânicos na E5. FOTO: Luiz Horta/Estadão

Todo ano, o Paladar – Cozinha do Brasil reúne os melhores chefs do País em aulas, atividades e degustações. Mas o intercâmbio de gente talentosa e apaixonada pelo que faz não acontece somente entre Estados. Convidados internacionais já se tornaram parte importante da programação. Neste ano, dois nomes de destaque da gastronomia mundial marcam presença no evento: o padeiro Ben Mackinnon e um dos responsáveis pelo encontro de chefs MAD Symposium, Mark Emil Hermansen.

Ficou com água na boca?

Ben Mackinnon é o criador da padaria mais popular de Londres, a E5 Bakehouse. Seus pães de fermentação natural, feitos com ingredientes orgânicos e locais, levam até 72 horas para ficarem prontos. A qualidade conquistou estabelecimentos como o restaurante Brawn e o Town Hall Hotel. O mais impressionante é que Ben ganhou todo esse destaque em menos de dois anos. Em 2009, decepcionado com a carreira de consultoria em sustentabilidade, ele voltou para a casa dos pais. Desempregado e entediado, decidiu fazer um pão só para acompanhar o vinho que estava tomando e, desde então, não parou mais. Primeiro vendeu para os vizinhos, de porta em porta. Depois, conseguiu espaço em um atelier e, finalmente, abriu loja própria. Em 2011, já era referência. Durante a aula no Paladar – Cozinha do Brasil, “Fazer pão hoje: artesanato com produtos locais”, vai mostrar como fazer seus famosos pães.

Mark Emil Harmansen

Mark Emil Hermansen. FOTO: Divulgação

Mark Emil Hermansen trabalha com René Redzepi, chef do Noma, considerado o melhor restaurante do mundo em 2012 pela revista Restaurant. Com mestrado em antropologia social pela universidade de Oxford, ele é um dos responsáveis pelo desenvolvimento de conceito do MAD Symposium, um encontro anual de chefs organizado pelo Noma na Dinamarca. Com experiência no Nordic Food Lab, importante instituto de pesquisa culinária, Mark vai explorar em sua palestra “Da cozinha nórdica para o mundo” as relações entre suas pesquisas e as criações servidas no Noma que, “ao recriar o terroir nórdico, permitem aos seus nativos ingerir a paisagem cultural e consumir uma versão material da identidade local e regional”, conforme ele mesmo diz.

As duas aulas acontecem no domingo, 5 de maio. Garanta já sua vaga.

Tags: