Paladar

A eterna dança das cadeiras

09 outubro 2014 | 17:52 por Marcel Miwa

Constantemente vinícolas migram do catálogo de um importador para outro. Embora pareça oportuno para o produtor vender um novo container de vinhos para o novo importador, a bagunça feita no mercado com os preços (o antigo importador normalmente liquida seu estoque daquela vinícola), safras diferentes ou desabastecimento momentâneo, comprometem a imagem do vinho.

Nos últimos meses, estas foram as vinícolas que trocaram de representante no mercado brasileiro:

A Bodega Roda, de Rioja, e o piemontês Renato Ratti agora são importados pela Ravin;
A Allegrini, do Vêneto, a argentina Doña Paula e a chilena Undurraga estão no catálogo da Inovini;
A vinícola chilena Morandé e a argentina RJ Viñedos (Joffré) estão na Grand Cru, e a mesma importadora  passa a distribuir, juntamente com a Mistral (seu tradicional importador), o ícone espanhol Vega Sicilia e os outros vinhos do grupo (Alión, Pintia e Valbueña);
As propriedades Quinta da Romaneira (Douro e Porto) e Argiano (Montalcino) que têm entre os sócios o brasileiro André Estevez agora são importados pela Portus;
A Herdade do Rocim, do Alentejo, agora é importado pela World Wine;
Benjamin Romeo (Contador), da Rioja, e Fabre Montmayou, da Argentina, estão no catálogo da Premium;
Os ilustres Domaines Dujac, Armand Rousseau, Leflaive e Georges Roumier, da Borgonha, passam a ser importados pela Magnum.

A lista certamente não está completa e talvez, neste momento, mais alguns produtores estejam fechando com novos importadores.

Grand Cru – grandcru.com.br
Inovini – inovini.com.br
Magnum – magnumimportadora.com.br
Portus – portusimportadora.com.br
Premium – premiumwines.com.br
Ravin – ravin.com.br
World Wine – worldwine.com.br

Ficou com água na boca?