Paladar

O sonho de ter um vinhedo

16 outubro 2014 | 18:02 por Marcel Miwa

Lembro que na época de universidade muitos colegas sonhavam em ter uma pousada em algum canto do litoral brasileiro como plano de aposentadoria. O tempo passa, as idéias e os planos mudam. O executivo argentino que vive no Brasil, Rodolfo Spielmann, conquistou o atual sonho de algumas pessoas: ter e administrar um vinhedo.

O projeto da Spielmann Estates teve início na segunda metade da década passada, quando Rodolfo contratou corretores de imóveis rurais em Mendoza para ver se havia alguma boa propriedade à venda. Assim chegou aos atuais 30 hectares de vinhedo em Luján de Cuyo, em uma parcela cercada de ilustres vizinhos: Catena, Achaval Ferrer e Cobos. Além da localização, há ali vinhas de Malbec plantadas em 1910.


Rodolfo Spielmann em seu vinhedo de Luján de Cuyo

Para extrair o melhor potencial das vinhas valhas, Rodolfo fez uma concorrência entre enólogos argentinos. Cada um deveria propor uma vinificação e mescla para o vinho de seu vinhedo. O vencedor, em seguida admitido como enólogo, foi o experiente Pepe Galante, ex-Catena e atual enólogo da Bodega Salentein.

Entre as linhas de vinho da vinícola, o grande destaque é o rótulo mais simples, o Canal Flores, uma mescla dominada por Malbec (ao menos 85%) e complementada por Cabernet Sauvignon e Syrah. Mesmo para o vinho de entrada são utilizadas uvas das videiras centenárias de Malbec, que são fermentadas em barricas de carvalho. Na vertical provada, impressionaram os resultados das safras ímpares, 2011 e 2013. Coincidentemente são anos de clima mais frios, onde o ciclo longo de amadurecimento da uva também permitiu a manutenção do bom nível de frescor. Na taça, foram vinhos com aromas de violeta e toffee, com bom frescor e sensação de delicadeza. Em um outro lado estão as safras 2010 (a primeira da vinícola) e 2012, safras quentes, onde os aromas snao dominadas por frutas negras maduras e alcaçuz, com aporte abaunilhado e tostado da barrica de carvalho. São vinhos mais potentes, quentes, que pedem a companhia de pratos substanciosos e clima frio.


Pepe Galante, enólogo da Spielmann Estates

Uma vantagem adicional é que as safras 2010, 2011 e 2012 estão à venda no Brasil (a 2013 chegará em breve) por um preço vantajoso frente sua qualidade (R$ 95, em spielmannestates.com/buy-wine). Qualquer um pode realizar esta degustação vertical e acompanhar a evolução dos vinhos e o retrato do clima em cada safra.

Ficou com água na boca?