Paladar

Vinho em canudos e pipetas

17 fevereiro 2015 | 17:02 por Marcel Miwa

FOTO:  Reprodução/Twitter @dabizdiverxo

“Sem Limites”. Este foi o lema do chef David Muñoz do DiverXO, único restaurante 3 estrelas Michelin de Madri, em sua apresentação no Madri Fusión 2015. E o alvo desta vez foi o vinho. Para revolucionar o serviço de vinhos e bebidas, Muñoz propôs mudanças no serviço, substituindo taças por canudos, pipetas e até conchas, e na elaboração das bebidas.

Servir um Riesling alemão com escamas de flor de sal de Maldón, um Palo Cortado misturado com Riesling e colocar água do mar com um tinto do Priorato são algumas das novidades anunciadas em sua apresentação. Entre as ideias mais ousadas estão servir um borgonha branco em infusão de pimenta jalapeño e sal, um Tokaji em infusão de especiarias marroquinas e utilizar uma concha de ostra de Rías Baixas para servir um Garnacha tinto de La Mancha.

Antes da previsível repercussão, David Muñoz comentou: “(o vinho) É um terreno cheio de dogmas, que não avançou com a mesma liberdade que a cozinha e nós acreditamos que vale a pena dar um enfoque diferente”.

Muñoz e sua equipe com os primeiros ensaios com canudos, pipetas e blends.  FOTO: Reprodução

Uma das reações ponderadas foi do jornalista especializado em vinhos do jornal El Mundo, Víctor de la Serna, que comentou no Twitter: “O vinho não é um adorno ou aromatizante. É o produto final e vivo de um largo processo artesanal”. Na mesma rede, o chef comentou que enquanto parte do mundo do vinho o insulta, ele voltaria para as costumeiras 16 horas laborais em seu restaurante.

Tags:

Ficou com água na boca?