Paladar

A alta da castanha portuguesa

A alta da castanha portuguesa

23 dezembro 2010 | 19:18 por Fernanda Yoneya

Estiagem prolongada no meio do ano atrasou colheita. CRÉDITO: MÁRCIO FERNANDES/AE

Quem tentou comprar castanha portuguesa em novembro levou um susto com o preço: mais de R$ 40 o quilo. Exceção entre as castanhas exóticas cultivadas no Brasil, a castanha portuguesa, que é tradicionalmente consumida no Natal, tem o pico da safra justamente na época de festas de fim de ano e normalmente há oferta do produto já a partir de outubro. Este ano, porém, por causa da estiagem prolongada em agosto/setembro, a florada das castanheiras atrasou e, consequentemente, os produtores não conseguiram colher no período usual, que começa em outubro. Resultado: o produto sumiu do mercado e os preços dispararam. “Só quem tem sistema de irrigação conseguiu colher no tempo certo e acabou aproveitando a alta dos preços”, diz a pesquisadora Silvana Catarina Sales Bueno, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati). Como a maioria dos produtores de castanha portuguesa não tem irrigação, o jeito foi colher em dezembro e correr para abastecer os clientes.

“Pela primeira vez tive que falar para os clientes que não tinha castanha”, conta a produtora Sônia Motta, de São Bento do Sapucaí (SP), que fornece para empórios, supermercados e rotisseries. Com a entrada da safra no mercado este mês, os preços caíram: estão entre R$ 15 e R$ 20 o quilo no varejo (o produtor está recebendo de R$ 10 a R$ 12 pelo quilo). Sônia tem 400 árvores produzindo e deve colher até o fim da safra, em abril, de 4 a 5 toneladas de castanha. “Nesta época, já era para eu ter colhido mais de uma tonelada, mas até agora colhi só 700 quilos”, conta a produtora. Como as vendas vão até no máximo o início de janeiro, Sônia já está planejando de que maneira vai escoar o que sobrar da safra. “O ideal seria eu vender toda a safra nesta época, mas não vai dar. Vou fazer marrom glacê e vender.” A produtora faz também um esclarecimento sobre a qualidade da castanha nacional: “Muitos consumidores acham que a castanha importada, por ser mais cara, é melhor. O que muita gente não sabe é que a safra europeia é no meio do ano e o produto que chega aqui não é tão fresco quanto o nacional, que é colhido agora.”

Prova disso é que o produtor Lilo Bernardi, de Mogi-Mirim (SP), mesmo colhendo com atraso, está correndo para atender à demanda dos clientes. “Colho, entrego e vende tudo. Como é um produto fresquinho, os consumidores levam, gostam e voltam para comprar mais”, diz Lilo, que tem 1.800 castanheiras (cada pé rende 35 quilos de castanha) e abastece a Ceasa de Campinas e supermercados e Mogi-Mirim e Mogi-Guaçu. “Além disso, o quilo da castanha importada está R$ 35; o quilo da nacional, R$ 15, R$ 16”, afirma. Lilo também já sabe o que fazer com a castanha que sobrar: “Vou produzir castanha portuguesa descascada embalada a vácuo. Vou fazer a classificação e vender para quem quiser fazer marrom glacê, farofa, purê, e por aí vai.”

Javali assado com farofa de castanha portuguesa: atração de festival em Campos do Jordão. CRÉDITO: LA GÁLIA/DIVULGAÇÃO

Pegando carona na safra da castanha, ocorre até 6 de janeiro, em Campos do Jordão (SP), um festival gastronômico de Natal só com pratos preparados à base de castanha portuguesa. “É uma forma de incentivar o consumo da castanha, não só cozida”, diz Silvana.

A receita abaixo é do restaurante La Gália e faz parte do festival:

Farofa de castanha portuguesa
Ingredientes:
– 200 gramas de frutas cristalizadas picadas;
– 1 xícara de vinho madeira;
– 3 colheres de manteiga;
– 1 cebola picada;
– miúdos de frango ou peru (opcional)
– meia xícara de bacon picado;
– sal e pimenta;
– 3 ovos batidos;
– 500 gramas castanhas cozidas e descascadas;
– 1 quilo de farinha de mandioca torrada;
– 50 gramas de nozes picadas (opcional);
– 80 gramas de amêndoas picadas (opcional).

Modo de fazer:
Coloque as frutas cristalizadas em um tigela, regue-as com o vinho e deixe de molho. Numa panela, aqueça a manteiga em fogo médio, frite o bacon, refogue a cebola até ficar macia, junte os miúdos, tempere com sal e pimenta e regue com uma xícara de água e cozinhe até ficarem macios e com pouco molho. Junte os ovos batidos e cozinhe, mexendo, até a mistura começar a firmar. Acrescente as castanhas e as frutas cristalizados com o vinho e misture bem. Aos poucos junte a farinha mexendo sempre, até obter uma farofa homogênea. Acrescente as nozes e as amêndoas. Misture bem e tire do fogo.

Siga o Agrícola no Twitter.

Tags:

Ficou com água na boca?