Paladar

Chez Saul * 25.05.2007 * Picchi

Chez Saul * 25.05.2007 * Picchi

28 maio 2007 | 14:41 por Jamil Chade

O jovem e talentoso chef Pier Paolo Picchi está de volta com uma cozinha italiana mais puxada para a tradicional, com pratos muito bem acabados, com alguns detalhes e receitas que fogem do tradicional.

O novo Picchi é moderno claro, com a cozinha na lateral à vista dos clientes, pé direito alto, grandes espelhos, um grande painel de arte abstrata bem colorida nas paredes e um mezzanino ao fundo.

Picchi

Mesas com serviços americanos nos almoços e toalhas à noite. Salão comprido e relativamente estreito, com várias das mesas junto à uma das paredes. Cadeiras de metal com almofadas claras.

Picchi é jovem, mas já tem bastante experiência. Ele tem formação européia, passou por vários restaurantes da Itália (como Balse Rossi e Visani) e Espanha (nas cozinhas do chef Sergi Arola e no Mugaritz, de Andoni Luis Aduriz). Em São Paulo, trabalhou com Alex Atala e no Leopolldo Plaza.

Picchi já ousou mais, já apresentou uma cozinha mais criativa quando foi chef do Emiliano e do Café Antique.

Em seu Picchi, ele ficou com uma cozinha mais comportada, fortemente ancorada nas tradições, italianas.

Cardápio conciso e atraente: sete entradas, entre R$ 18, salada caprese e R$ 37, camarão na bruscheta); nove massas e risotos (entre R$ 29, tagliatelle com lulas e tomate fresco e R$ 49 , risoto de frutos do mar; cinco carnes, entre 38, medalhão à pizzaiola e R$ 46, coxa e sobrecoxa de pato no vinho tinto) e cinco peixes e frutos do mar, entre R$ 40, guisado de lulas com escargots e batatas e R$ 75, peixes e frutos do mar grelhados). Almoço executivo a R$ 35.

Serviço simpático, mas não deu para avaliar sua eficiência na época da abertura da casa. Carta de vinhos restrita, com muitos vinhos pouco conhecidos ao lado de outros que podem ser chamados de clássicos.

O almoço foi ótimo mesmo, sem nenhum problema sério. Pratos apresentados com capricho.

Entrada excelente: lulas macias com alcachofrinhas e batatinhas cozidas “com sabores da Ligúria (provavelmente as folhas de manjericão, R$ 26).

Massas no mesmo nível, todas estritamente al dente: ravióli de mussarela de búfala defumada, limão siciliano e molho de tomate (R$ 41); nhoque ao ragu de ossobuco (nhoque delicioso, macio e ragu com pedaços carnudos de ossobuco, R$ 30); penone com creme de abóbora e parmesão (um panne grande num berço de abóbora); cappelletti de perdiz, ovos de codorna fritos, lascas de trufas pretas num brodo que pegou o gosto da trufa (R$ 41); ravióli de cebola caramelizada com brandade de bacalhau (uma bela combinação, R$ 36).

Risoto de funghi secchi com castanha do Pará e espuma (uma mousse) de parmesão por cima (al dente mesmo, durinho, R$ 45).

Escalope de filé à pizzaiola macio e com um gostoso molho de tomate por cima (R$ 38) e grelhado do mar ótimo (mero estritamente no ponto, camarão meio mole, além do ponto, mexilhão, vieiras e outros frutos do mar, R$ 76).

Sobremesas corretas: pêra cozida no vinho branco com açafrão e mascarpone (R$ 12) e espuma de nutella e frutas vermelhas (doce demais, R$ 14).

Onde: R. Jerônimo da Vaiga, 36, Itaim-Bibi, 3078-9119 (66 lug).
Quando: 12h15h e das 20h/0h. 6º, até 1h. Sáb 12h/16h e 20h/1h.
Quanto: Couv.: R$ 9. Cc.: M e V. Manob.: R$ 9.