Paladar

Espumantes Nacionais acima de R$ 40

18 dezembro 2008 | 02:24 por Jamil Chade

A época valoriza as borbulhas, que são sempre lembradas para as festas de fim de ano. Felizmente, não temos e procurar bons espumantes longe , pois há nacionais ótimos em vários patamares de preços. Na semana passada, abordamos os que custam até R$ 40. Agora, os produtos de elite, com preços até R$ 75. Nas duas faixas, vinhos mais do que atraentes.

Os vinhos desta coluna foram todos feitos com as uvas Chardonnay e Pinot Noir, que também são as principais no verdadeiro Champagne, inimitável, primeiro e único, como o rei Momo. O Champagne é um espumante feito numa região delimitada do Noroeste da França, utilizando um sistema de segunda fermentação na própria garrafa (méthode champenoise). Os demais são só espumantes e não champagnes.

A propósito, Prosecco não é sinônimo de espumante, bem longe disso. Trata-se de um espumante originário do Vêneto, na Itália elaborado com a uva Prosecco. É bom lembrar ainda que muitíssimos espumantes nacionais são muitíssimos melhores que a grande maioria dos Proseccos.

Dos quatro vinhos selecionados, apenas um utilizou o sistema charmat, mais rápido e de menos prestígio, justamente o Chandon Excellence, que considerei o melhor. O sistema de vinificação (chamat ou champenoise) pode ser importante, mas também é crucial a qualidade do vinho de base, aquele que é transformado em espumante.

Além dos quatro, chamou atenção também a qualidade do Pizzato Brut (R$ 44,73 – na Saint Vin Saint. Telefone: 3846-0384). Praticamente no mesmo nível do Marson e do Salton Evicence). Gostoso, leve e fresco.

Marson Brut
Onde encontrar: Cave Marson. Telefone: 5042-3890.
Preço: R$ 45.
Cotação: 88/100 pontos.

Provado para a coluna Tintos e Brancos do suplemento Paladar de 27 de novembro.

Um espumante ligeiro, fácil de beber, feito com as uvas Chardonnay e Pinot Noir pelo sistema “tradicional” ou “champenoise”, de segunda fermentação na garrafa. Engarrafado e “expedido” em 2006, o que indica um vinho jovem, no ponto para o copo. Perlage muito boa. Bolinhas de gás abundantes, subindo em cordões regulares. Aroma muito bom, fresco e intenso, lembrando vinhos feitos com a Chardonnay. O ponto alto do produto. Na boca, leve, muito refrescante e cremoso. Ótimo para bebericar ao aperitivo.Um pouco de amargor, mas deixou na boca uma sensação gostosa, fresca. 12% de álcool.

Salton Evidence
Onde encontrar: Kylix Vinhos. Telefone: 3825-4422.
Preço: R$ 52.
Cotação: 88/100 pontos.

Provado para a coluna Tintos e Brancos do suplemento Paladar de 27 de novembro.
Elaborado com as uvas Chardonnay e Pinot Noir vinificadas pelo sistema champenoise, de segunda fermentação na própria garrafa. Permaneceu 12 meses em contato com as leveduras que causaram essa segunda fermentação. Muito melhor na boca do que no aroma, agradável, mas pouco intenso. Aroma apareceu um pouquinho mais com o tempo no copo e se mostrou delicado, com aspectos florais. Espumante clarinho com gaseificação excelente. Borbulhas delicadas e duradouras. Na boca, leve, refrescante, com algo de maçã e final muito gostoso. Sensação e boca limpa e fresca. Sem amargor. 12% de álcool.

Miolo Brut Millésime 2005 Brut
Onde encontrar: Liquor Store. Telefone: 3507-6222.
Preço: R$ 63,95.
Cotação: 89/100 pontos.

Provado para a coluna Tintos e Brancos do suplemento Paladar de 27 de novembro.

O espumante de elite da Miolo, feito com uvas Pinot Noir e Chardonnay do Vinhedo São Gabriel, no Vale dos Vinhedos, a primeira zona de denominação de origem. Fruto do método tradicional. Um espumante de bom aroma e melhor na boca. Aroma lembra fermento, padaria, o que é comum em bons espumantes. Também evoca vinhos feitos com a Chardonnay. Excelente perlage. Bastante bolinhas que continuaram subindo no copo por um longo tempo. Encorpado. Bom para bebericar e acompanhar muitos pratos. Outro vinho refrescante e sabor intenso e cremoso. Bem leve toque de amargor. 13% de álcool.

Chandon Excellence Cuvée Prestige Brut
Onde encontrar: Empório Frei Caneca. Telefone: 3472-2082.
Preço: R$ 74,95.
Cotação: 91/100 pontos.

Provado para a coluna Tintos e Brancos do suplemento Paladar de 27 de novembro.

Um espumante de primeira e de alta classe do começo ao fim, do aroma ao retrogosto. O único do lote resultado do sistema charmat, de segunda fermentação em cubas fechadas. O vinho de base, aquele que é transformado em espumante nesse processo , deve ser de primeira mesmo. Uvas da propriedade da Chandon, em Garibaldi- Chardonnay e Pinot Noir.Alta qualidade e constante. Muito provavelmente, o melhor vinho brasileiro da categoria. Gás abundante e duradouro mesmo. Aromas de fermentação (padaria) e frutas. Macio, cremoso e longo. Ao final, certo amargor ao longe. Mas o que fica na boca é uma sensação gostosa. 12% de álcool.