Paladar

Frango no tijolo

29 março 2007 | 11:00 por Jamil Chade

Outro dia, conversando com o grande chefe italiano Luciano Boseggia, eu me lembrei do estupendo galeto que comia no Gigetto, sempre com a pele crocante, macio e úmido.

O frango era grelhado na chapa e o cozinheiro costumava colocar por cima o panelão de arroz. O peso forçava o frango contra a chapa e, como a panela também estava no fogo, garantia calor dos dois lados. Espero que o Gigetto tenha mantido tal delícia no cardápio.

Luciano disse que há um clássico na Toscana muito parecido, o frango “al matone”, ao “tijolo”. Segundo ele, tijolos são colocados para fazer peso numa chapa colocada sobre o frango. A idéia é a mesma. No Gigetto, o panelão de arroz fazia o papel dos tijolos.

Resolvi fazer uma experiência em casa com um galeto. Atenção, galeto mesmo, uma ave bem nova e não frango disfarçado, como aparece em muitos restaurantes.

Esquentei muito uma chapa de metal com película anti-aderente na maior boca de meu fogão a gás. Deixei a chapa fumegando. Ao lado, coloquei bastante água na maior panela de casa e também levei ao fogo.

O galeto estava cortado em duas metades. Coloquei numa tábua de cozinha e forcei com a base da mão para achatar o mais possível e garantir o maior contato possível com o calor. Cortei também as pontas das asas. Untei muito levemente a chapa.

Levei as duas metades para a chapa e coloquei a pesada panela com água fervendo por cima. O meu fogão é potente e grelhou perfeitamente o galeto em seis minutos de cada lado.

Ficou ótimo, macio, no ponto, úmido e muito saboroso. Mas fez uma fumaceira danada. Uma dica recomendada para quem tem cozinha muito arejada, um potente exaustor ou não ligar para cabelos defumados.

Ficou com água na boca?