Paladar

Leitão da Bairrada

13 fevereiro 2007 | 17:04 por Jamil Chade

Tenho de admitir, com uma certa relutância é verdade, que comi em Portugal leitões, lombos e costeletas de porco tão bons quanto os que provo na casa de minha mãe, D. Sila, em nossa casa de Jaú.

Na média, o porco português, notadamente do Alentejo, bate de dez a zero os que aqui encontramos normalmente no mercado.

O mais do que justamente famoso leitão da Bairrada foi a estrela do memorável almoço oferecido pelo amigo Mário Neves em sua Caves Aliança aos novos membros da Confraria dos Enófilos da Bairrada. Esse leitão é diferente do nosso.

Aqui, fazemos a leitoa assada com a pele pururuca, “pipocada”. Lá a pele é laqueada, como se fosse envernizada, como um pato de Pequim. O leitão é empalado num espeto, da boca até onde der e assado num forno de lenha. Uma delícia, delicado e sem cheiros fortes.

Agradeceu a companhia de ótimos tintos, como Quinta das Baceladas Bairrada 2003; Quinta da Dona Bairrada 2004 e de um “contrabando” do Douro, o Quinta dos Quatro Ventos Reserva 2002. Um alentejano, o Quinta da Terrugem 2004, elegante foi uma ótima companhia para o arroz de cabidela de leitão à moda da Graça.

Ficou com água na boca?