Paladar

Lulas à dorê

20 agosto 2007 | 11:12 por Jamil Chade

Preparar anéis de lula à dorê, um dois pratos mais populares, mais pedidos em muitas cantinas e restaurantes espanhóis, até que é fácil, mas também tem seus segredos e até pode até ser meio arriscado.

A grande cozinheira espanhola Maria Garcia Casares, que fez a justa fama do muito bom restaurante espanhol Los Molinos, dá um conselho precioso: seque muito bem as lulas.

Segundo ela, os anéis de lula devem ser cortados em tiras e lavados. Depois, é preciso secar realmente muito bem com um pano de cozinha bem limpo. Secar duas ou três vezes com a toalha limpa até que elas fiquem secas mesmo, sem resquícios de umidade.

Segundo D. Maria, se a lula soltar água fica difícil e até um pouco perigoso de fritar. Isso porque a lula meio molhada pode provocar pequenos estouros no óleo e provocar pequenas queimaduras nas mãos.

Uma vez bem secos, passe os anéis pela farinha de trigo e bata com as mãos para retirar o excesso e frite em bastante óleo bem quente mesmo. É preferível fritar em várias etapas em bastante óleo bem quente.

O negócio é não congestionar a frigideira, dourou, está pronta para ser servida com um vinho branco gelado e com boa acidez, como um Sauvignon Blanc do Chile, um Soave de classe do Vêneto e assim por diante.

Ficou com água na boca?