Paladar

Malbec no Chile

06 junho 2008 | 02:11 por Jamil Chade

Dois dos melhores tintos feitos com a Malbec que provei ultimamente não vieram da Argentina, mas sim do Chile, mais exatamente do Valle de Colchagua, onde a caprichosa vinícola Viu Manent está se revelando uma espécie de especialista nesta uva: Viu Manent 1 2006 e Viu Manent Malbec Single Vineyard 2006. Num nível um pouco mais abaixo o Viu Manent Reserva 2006 e o mais simples Segreto Malbec 2006. Todos vinhos viris, fortes e com bastante álcool, talvez um pouco demais.

O Viu Manent 1, uma homenagem ao fundador da vinícola, Manuel Viu Mantent aparece há anos entre os melhores dos melhores do Chile em vários guias (2/100). Um vinho caríssimo, feito para demonstrar qualidades, com enorme concentração de cor e de sabor. Aroma potente, com muita fruta (ameixa preta). (92/100 pontos). Do lado negativo, apenas a altíssima concentração alcoólica (15% de álcool). É verdade que o álcool não aparece, está muito bem integrado, mas está lá e pode cansar na continuação. Magnífico, mas meio pesado Estrutura chega a lembrar um Porto. Vai melhorar com alguns anos a mais.

O Malbec Single Vineyards 2006 é mais “manso” e elegante. Um belíssimo vinho (91/100 pontos). Nem tanta concentração e estrutura, mas mais elegante, mais adaptado para um jantar. Feito com vinhas velhas, com perto de 70 anos, o que parece ser particularmente que importante para a Malbec. Doze meses nas barricas de carvalho, que aparece sem exagero. 14,5% de álcool. Também deve evoluir na garrafa.

O Viu Manent Reserva Malbec 2006 fica num nível um pouco mais abaixo. (86/100). Encorpado, com muita fruta, toques de carvalho precisos, mas algo de vegetal, balsâmico, o que e comum nos tintos chilenos. Ainda um pouco tânico. Deve evoluir. 14,5% de álcool.

O Viu Manent Segreto é um bom e concentrado vinho mais simples (86/100). Bom aroma com algo vegetal e primeira impressão na boca muito boa. Um pouco alcoólico, tânico e meio rústico ao final. 14,5% de álcool.