Paladar

Mudam os tintos e brancos de Rioja

28 fevereiro 2007 | 11:28 por Jamil Chade

O Rioja tinto deve ser feito basicamente com as uvas Tempranillo, Garnacha, Graciano e Mazuelo e os brancos com as cepas Viura, Garnacha Blanca e Malvasia. Certo? Até algumas semanas estava certo. Agora, o Consejo Regulador da Denominacion de Origen Calificada Rioja (Espanha) mudou as regras autorizando a inclusão de novas uvas.

Essas mudanças foram mais radicais para os brancos, que agora podem utilizar a Chardonnay, a cepa fina mais difundida em todo o mundo, a Sauvignon Blanc, outra uva francesa muito conhecida e a Verdejo, uma cepa espanhola que dá vinhos frescos e gostosos na zona de Rueda.

Para muitos, o Rioja branco vai se “pasteurizar”, vai ficar mais parecido com muitos vinhos de muitos países.

Ficou com água na boca?

Ainda no que diz respeito aos brancos, poderão ser usadas as uvas autóctones Maturana balnca, Temprinillo blanco e Turruntés, que são poucos conhecidas e difundidas.

A nova regulamentação estabelece que essas cepas brancas estrangeiras não poderão ser predominantes. Se algum vinho vier a citar em seus rótulos as cepas com as quais foi feito, o nome de uma uva local deverá vir em primeiro lugar, deverá ser a principal.

Para os tintos, poderão ser também utilizadas uvas das variedades Maturana Tinta, Maturana Parda e Monastrel. Segundo o conselho, isso visa recuperar as raízes do patrimônio vinícola riojano e acrescentar diversidade à sua produção vinícola, mantendo a identidade e diferenciação.

Essas são as primeiras mudanças na regulamentação da Rioja desde a criação da denominação, em 1925.