Paladar

Norton Privada, aliás, Privado

08 fevereiro 2007 | 12:16 por Jamil Chade

Um novo tinto “top de linha” da tradicional vinícola Norton. Trata-se de um corte de Malbec, Cabernet Sauvignon e Merlot que, segundo o rótulo, antes era privativo da família do proprietário.

Um vinho caro, ótimo aroma e muita concentração. O tipo do vinho argentino potente, com muita fruta, corpo, taninos finos. Cor bastante concentrada. Bem escurão, aroma muito gostoso, potente, com muita fruta e toques minerais na boca, impressiona pela potência e não pela elegância.

Começa muito bem, impressionando pela concentração. Depois fica um pouco potente demais, um pouquinho. O álcool aparece. Deixa a boca meio rugosa (89/100 pontos). Destaque para o aroma.

Depois de prová-lo vim a saber que ele se chamava originalmente Norton Privada e que mudou de nome por causa do mercado do Brasil, onde “privada é privada”. Nada mais compreensível.

Ficou com água na boca?