Paladar

O. Fournier no Chile

O. Fournier no Chile

27 maio 2008 | 16:14 por Jamil Chade

O. Fournier no Chile

No Chile, a O. Fournier comprou ou arrendou terras no Valle del Maule e em San-Antonio-Leyda, onde pretende construir duas vinícolas. Atualmente, está produzindo apenas um vinho comercial, usando uvas compradas em San Antonio-Leyda, o Cenauri, um Sauvignon Blanc gostoso, muito típico, refrescante e com um ligeiro amargor ao final (87/100 pontos).

San Antonio-Leyda é uma nova região, bastante fria, dedicada especialmente aos brancos, notadamente feitos com Sauvignon e tintos de uvas que gostam do frio, como a Pinot Noir. Ainda uma região pequena, mas que vem crescendo impressionantemente. O Guia de Vinos de Chile fala em apenas 300 hectares de vinhas, mas com as inversões recentes esse número está na realidade acima dos 4 mil hectares. Apenas o agricultor José Isqueirdo, plantou 700 hectares. É desse agricultor que a O. Fournier compra as uvas para o seu Centauri.

A Fournier comprou 30 hectares na área muito fria de Lo Abarca, uma das sub-regiões, onde está a ótima vinícola Casa Marin.

San Antonio é o nome de um grande porto e as duas sub-regiões são: Leyda (mais longe do mar e onde ficam algumas das principais vinícolas) e Lo Abarcam (mais fria, a uns cinco quilômetros do Pacífico, de onde vem o ar frio).

No Maule, Juan Manuel Fournier ficou entusiasmado com os vinhedos velhíssimos que encontrou. O Valle del Maule fica no extremo Sul do Valle Central e não é uma das regiões de mais prestígio. O maior vale vinícola do Chile, mas muitas plantações da uva Pais, considerada inferior.

O vinhedo de Cabernet Franc, de 125 anos, é um espetáculo, com os troncos das árvores grossos e retorcidos e já está dando vinhos experimentais espetaculares. Também impressionaram muito bem os tintos experimentais feitos com vinhedos velhos de Carignan (a Cariñena espanhola), uma uva que gera normalmente vinhos comuns, mas que pode dar tintos espetaculares quando a produção das parreiras é severamente limitada, como no Priorato. Esses dois vinhos – Cabernet Franc e Carignan – deverão entrar nos cortes dos futuros vinhos da O. Fournier no Chile. Vamos aguardar.

Ficou com água na boca?