Paladar

Só queijo

Aventuras lácteas entre o Brasil e a França

Coletivo Intergalácteo quer ensinar brasileiros a comer queijo

Três produtores de queijo artesanal cria um coletivo para ensinar a seus clientes todas as nuances do mundo queijeiro

01 de fevereiro de 2021 | 13h23 por Débora Pereira

Uma coleção de vídeo-aulas sobre diversos aspectos do mundo dos queijos será o resultado do Coletivo Intergalácteo, iniciativa dos produtores Carolina Vilhena, da BelaFazenda, Érico Kolya da queijaria @pedomorro_japipara e Peèle Lemos da Lano-Alto.

“O objetivo é falar de queijos, conversar de suas características, entender e harmonizar com outros alimentos” disse Carolina.

O primeiro vídeo, sobre cascas de queijos, sera lançado esta segunda-feira (1) às 19h no Instagram do coletivo. Para assistir, é preciso preencher um formulário com seus dados em Coletivo Intergalácteo para em seguida receber o link do vídeo.

“Este primeiro episódio será gratuito e os próximos serão pagos. Queremos fazer um por mês até o final do ano e as pessoas poderão comprar com ou sem o kit de queijos para acompanhar o vídeo. É um projeto feito para o consumidor final” detalha a produtora.

 

Conselhos práticos

Existem cascas naturais e cascas com outros tipos de intervenções: lavada, esfregada, mofada. “O primeiro sentido despertado com o queijo é a visão e olhando para a casca a gente consegue entender bastante sobre o queijo” conta Érico.

“Em um queijo de casca mofada existem seres vivos que trabalham para a maturação acontecer, e esses seres vivos têm um ciclo de vida, fases que percebemos conforme um queijo evolui em sua maturação. Por exemplo, a casca de um queijo azul se inicia “nua” amarelinha, com 7 dias está esverdeada, com 20 dias completamente verde azulada, com 35 dias azul por baixo e branca por cima, com 60 dias amarronzada ou rosada e pegajosa” continua Carolina.

Veja o teaser do primeiro vídeo:

 

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?