Paladar

Só queijo

Aventuras lácteas entre o Brasil e a França

Cultura de venda de queijos em expansão nas Américas

Conheça Lee Salas, peruano que multiplica pontos de venda de queijos de alta qualidade para o público latino-americano

30 de novembro de 2021 | 10h01 por Débora Pereira

Conheci o peruano Lee Salas Rosell na Noruega, nós dois fomos dos poucos jurados latino-americanos na edição de 2019 do World Cheese Awards, concurso de queijos feito há mais de 30 anos pelos ingleses, cada ano em um país.

Logo fiquei curiosa para saber como um comerciante de queijos peruano consegue ter uma oferta tão qualitativa nas lojas que criou: queijos do francês Hervé Mons, da inglesa Neal’s Yard Dairy e do italiano Guffanti Formaggi estão entre as suas pérolas, considerados dos melhores do mundo, e que nem deram as caras ainda no mercado brasileiro.

Lee Salas Rosell na loja peruana The Cheese Corner. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

“Fico muito feliz de ter aberto o mercado para curadores europeus tão incríveis. Eu adoro vender queijos, mas acima de tudo, adoro fazer as pessoas felizes” disse ele.

Sua história de amor queijeira começou em 2000. “Fui fazer faculdade de literatura em Nova York e arrumei um emprego em um restaurante francês que tinha uma gama maravilhosa de queijos com curadoria de Max Mccalman. Ficamos amigos e ele foi meu primeiro mentor por 4 anos. Então fiz uma primeira consultoria para abrir a loja em Lima, no Peru, minha cidade natal. É a capital gastronômica da América do Sul, eu não podia fazer por menos, a escolha dos queijos exigia muita qualidade. Deu certo” disse ele.

Lee e Jason Hinds, da Inglaterra. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

“Queria uma oferta de queijos bem dinâmica e selecionada, acessível e que fosse uma experiência para todos os sentidos. Compreender esse mercado emergente gourmet da América do Sul foi fundamental, me inspirando nas lojas de Nova York para decorar espaços bonitos que resultassem em experiências memoráveis”.

Prateleiras de madeira, rastreabilidade e ambientes com temperatura e umidade controladas não faltam. Outra escolha foi trabalhar com 80% de queijos de leite cru e 80% de queijos bem maturados. Para os frescos, ele escolheu a dedo produtores locais, que transformam o leite da própria fazenda.

Lee Salas Rosell organizando sua gama de queijos. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

“Meu clientes são os expatriados, os epicuristas, os amantes de queijo gourmets, além de restaurantes e hotéis” confessa ele.

Loja e restaurante Chèvre Panamá.FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

Satisfeito, mas sempre buscando inovar e entender melhor os mercados emergentes, Lee deu consultoria para abertura de outras lojas pela América do Sul. “Desde 2016 tenho ajudado a criar lojas de queijo em Bogotá, Costa Rica, El Salvador, México e Panamá”.

Nova loja de Lee na Flórida. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

Em abril de 2021 ele finalmente abriu sua própria loja na Flórida: The Cellar and Pantry. “Tenho meu próprio conceito, quero crescer e continuar atendendo o público latino-americano, que adora queijo!”

No menu, tábuas de queijos com charcutaria e alimentos que acompanham queijos. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

 

Mas também degustações puristas à la francesa, só com queijo. FOTO: Lee Salas/Acervo Pessoal.

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?