Paladar

Só queijo

Aventuras lácteas entre o Brasil e a França

O queijonista, de Montes Claros para Nova York

Brasileiro que trabalha na loja da Murray's Chesse, em Nova York, conta um pouco da sua experiência servindo tábuas com fatias de cultura queijeira

03 de novembro de 2020 | 05h35 por Débora Pereira

Nascido em Brasília de Minas, cidadezinha do norte de Minas pertinho de Montes Claros, John Braga, 35 anos, saiu do Brasil em busca de uma vida melhor nos Estados Unidos. Depois de 10 anos dando aula de inglês, acabou se apaixonando por queijo.

Hoje ele trabalha na Murray’s Cheese em Nova York, loja de queijos do vídeo abaixo que visitei quando comecei esse blog há três anos…

O brasileiro começou a trabalhar como voluntário na limpeza da loja em troca de assistir a cursos de cultura queijeira oferecidos para o grande público. Em 2016 ele começou no cheese bar da Murray’s, servindo tábuas de queijo e transmitindo informações não só sobre sabores e aromas dos queijos mas também história e cultura.

O balcão de atendimento do cheese-bar. FOTO: John Braga/O queijonista

 

No vídeo da entrevista abaixo, exclusiva para esse blog, ele conta como surgiu da ideia do perfil “queijonista” no Instagram “uma mistura de queijo com fashionista”.

 

Como na moda, para criar lindas tábuas de queijo ele propõe “pensar em cores, texturas, sabores… quero transmitir minhas experiências para os brasileiros” disse ele.

As tábuas de queijos americanas têm muito mais alimentos acessórios que as tábuas francesas, “que têm mais é queijo mesmo” disse ele. FOTO: John Braga/O queijonista

John conta também como foi viajar para França, a “Meca dos Queijos” e sua passagem na Maison Mons “foi uma das melhores experiências da minha vida”.

Tags:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?