Paladar

Só queijo

Aventuras lácteas entre o Brasil e a França

Queijeiros em competição na Sirha, feira francesa de alimentação

Dois concursos para queijeiros foram realizados na feira em Lyon: um desafiou os profissionais que vendem queijos, o outro levou os queijos para a cozinha

29 de janeiro de 2019 | 20h50 por Débora Pereira

Esse domingo (27) foi dedicado ao queijo no Sirha, uma das maiores feiras de alimentação do mundo, em Lyon, na França. De manhã foi realizada a “Copa da França do Queijo” e, de tarde, o concurso”Um queijeiro, um cozinheiro”.

Dentro da Sirha também ocorre o Bocuse d’Or, competição considerada a Copa do Mundo da gastronomia. O time brasileiro subiu ao palco nesta terça, e as apresentações seguem pela quarta-feira, quando serão divulgados os resultados – fique de olho no site do Paladar.

Na segunda, foi a vez dos confeiteiros competirem entre si, fazendo sobremesas e esculturas (de chocolate, açúcar e gelo). No pódio deu Malásia, Japão e Itália.

 

Copa da França do Queijo

Na Copa da França, as provas desafiaram os profissionais que vendem queijo: um teste de múltipla escolha, uma prova de corte de queijos e a obra final, montar uma tábua com queijos e suportes fornecidos pelo evento.

Queijos entregues a cada candidato para montagem da obra artística. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

Com questões de conhecimentos gerais sobre regras das DOPs (Denominações de Origem Protegida) europeias e questões técnicas sobre fabricação e cura de queijos, o teste de múltipla escolha mediu o nível dos profissionais. “É importante que eles saibam transmitir essas informações aos seus clientes”, disse Benoît Charron, presidente do concurso. Em seguida, na prova de corte, os candidatos tiveram quatro minutos para cortar, sem balança, um queijo gruyère suíço em pedaços de 250g, 300g, 400g, 500g e 700g!

O tema foi uma tábua de queijos “artística” para 30 pessoas, 150g por pessoa, mínimo de 12 queijos. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

Para a prova final da Copa, a mais aclamada pelo público, que lotou o espaço Cuisine en Scène do Sirha, um suporte triangular de dois níveis e uma caixa de queijos foram dados a cada um dos competidores. O tema foi descoberto na hora pelos candidatos, que não tinham sequer balança para medir as quantidades. A meta era compor uma tábua com 4,5 kg de queijos.

A vencedora foi a pequena japonesa Fuko Honda, que trabalha na loja Mons, do mercado coberto Les Halles Paul Bocuse de Lyon, desde 2015. “Eu dedico minha paixão pelo queijo trabalhando com Hervé Mons e estou muito contente dessa vitória”, disse ela.

Fuko Honda, em seu primeiro concurso, deixou para trás 15 candidatos. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

 

Da esquerda para direita: o responsável pela loja de Lyon, Philippe Caillouet, o queijeiro Hervé Mons, a vencedora Fuko Honda e Cédric Lenoir, responsável da organização de todas as boutiques Mons. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

 

Um queijeiro e um cozinheiro em ação

Na parte da tarde, quatro duplas concorreram no concurso “Um queijeiro, um cozinheiro”. O ossau-iraty foi o queijo escolhido para ser sublimado na cozinha, por combinar bem tanto com em pratos doces quanto com salgados. O desafio foi improvisar preparações a partir de uma cesta de outros ingredientes, tudo descoberto na hora.

A cesta de alimentos para cozinhar com o queijo ossau-iraty. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

Os candidatos criaram cinco pratos idênticos para degustação pelos jurados. A única regra principal: 50% de queijo na matéria-prima da receita.

Os vencedores foram os franceses Claire Genthon, da queijaria Millésime et Affinag, em Eybens, e Florian Poyet, do restaurante Badine à Grenoble.

Os vencedores Florian Poyet e Claire Genthon. FOTO: Arnaud Sperat Czar/Profession Fromager

E assim terminou esse dia de glória ao queijo!

Tags:

Ficou com água na boca?