Paladar

Só queijo

Aventuras lácteas entre o Brasil e a França

Viagem queijeira na Califórnia em 15 fotos

O cenário queijeiro em São Francisco mistura glamour e contracultura em um movimento que valoriza o artesanal; confira um pequeno roteiro de lojas

23 janeiro 2019 | 19:38 por Débora Pereira

Queijo nos Estados Unidos é um frenesi, um entusiasmo delirante!

Foi essa a sensação que tive depois de passar uma semana em São Francisco para o Fancy Food Show, uma das maiores feiras de alimentos finos do mundo.

Aproveitei para conferir as lojas de queijo e os eventos paralelos, que costumam ser os melhores. Confira e guarde os endereços para sua próxima viagem!

 

Crème de la crème da alta gastronomia moderna e tradicional

● Na edição de janeiro do Fancy Food, as novas criações de queijos especiais modernos (special cheeses) acompanharam a busca por um consumo mais natural, caseiro (home made), baseado em comércio justo (fair trade), orgânico (organic) – tudo que o consumidor nômade moderno e consciente do planeta deseja. Como os queijos de cabra com flores orgânicas da Kris Lloyd Artisan.

Queijos frescos de cabra australianos da Kris Lloyd Artisan, decorados com flores orgânicas. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 
● Mas a tradição vem ao lado da novidade. Sucesso também foram os queijos portugueses exportados pela Tradifoods. A maioria de leite cru com mais de 60 dias, acompanhados de doces de marmelo, figo e pêssego.

Queijos portugueses e marmeladas são muito apreciados no mercado americano, podendo chegar a US$ 70o quilo! FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Glamour e contracultura encontram o queijo no sanduíche

● O ambiente barroco de pinturas no teto e móveis dourados contrasta com as tatuagens de Lydia Sapp, a queijeira responsável pela Atelier Fine Foods, loja de queijos e alimentos de alta gastronomia em Yountville, Califórnia, a uma hora ao norte de São Francisco. Ela prepara os pedidos ao som de um funk moderno. Queijos como o comté e etivaz suíço, fatiados em máquina, são degustados nos diversos sanduíches propostos no menu e servidos em um salão de chá ao lado da loja.

Lydia Sapp, na Atelier Fine Foods, em Yountville, Califórnia. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Educação Queijeira para consumidores

● Visitei a nova Cheese School de São Francisco, inaugurada há três meses, voltada para educação de consumidores. A maioria das atividades, de cerca de duas ou três horas, são para descobertas temáticas, com temas como queijos com denominação de origem controlada (DOP) italianos e franceses, harmonizações com vinhos, cervejas ou chocolates. “As classes sempre têm as inscrições esgotadas e o sucesso é enorme”, diz Susan Sturman, americana que promove viagens queijeiras (cheese tours) na Europa e na França.

A professora americana Susan Sturman: militância forte para o leite cru entre os alunos. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Lojas colocam em evidência outros alimentos para harmonizar com queijo

● Na loja The Pasta Shop, em Oakland, a queijeira Juliana Uruburu tem uma excelente oferta de queijos locais e internacionais dentro do Market Hall Foods há 33 anos. Ela é professora na Cheese School de São Francisco. O queijo representa cerca de 25% das vendas em sua loja, que tem uma grande gama de alimentos finos.

Juliana e sua assistente em frente ao stand de queijos do mercado de Oakland. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

O queijo de ovelha e vaca Gabietou de Hervé Mons é um dos franceses selecionados por Juliana Uburubu, em Oakland. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

A tomme brulée (queijo queimado) do francês Pascal Beillevaire. Depois de curado, ele é chamuscado com um maçarico. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Todas as lojas de queijos têm suas vitrines dedicadas aos produtos frescos, queijos vendidos no soro ou na água de guarda com duração de vida bem limitada. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Na Pasta Shop, os ‘cheesemongers’, profissionais para aconselhar sobre queijos, deixam seus recados em bilhetes para os consumidores em espanhol! FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 
Cowgirl Creamery é uma empresa de queijos orgânicos fundada em 1994 que tem seis boutiques na Califórnia. Visitei duas, uma no Ferry Building de São Francisco e a outra em Point Reyes, cidade a meia hora de carro ao norte, onde fica o atelier de fabricação. A Cowgirl é conhecida por seu papel pioneiro na produção artesanal nos Estados Unidos. Sem herdeiros, as duas fundadoras Sue Conley e Peggy Smith venderam em 2016 para a Emmi, um grande grupo suíço que tem negócios internacionais de laticínios. A Emmi está comprando outras fazendas orgânicas de pequenos produtores na região e investindo para sua modernização.

A loja da Cowgirl no porto de São Francisco tem um cheese-bar especializado em mistos quentes. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Sue e Peggy continuam na gerência da empresa. Na boutique de Pont Reyes, a fabricação pode ser assistida dentro da loja. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 
● Outra excelente loja é a Cheese Plus, a mais antiga de queijos de São Francisco. “Agora no começo do ano nós vendemos pouco porque as pessoas prometem fazer dieta no ano novo, mas não dura mais que duas semanas e, agora, as vendas já começaram a esquentar de novo,” conta Ray Bair, o proprietário. 

Na entrada, flores, pães e saladas disputam o espaço com queijos e alimentos finos. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

Promoção de queijos suíços: você tira a foto e adota uma montanha suíça comprando um queijo! FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 

É possível comer tábuas de queijos e sanduíches do lado de fora da Cheeseplus. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

 
● Para terminar, no coração da produção artesanal de vinho da Califórnia, a loja Cheese Wine Merchant do mercado de Oxbow, na cidade de Napa, aposta na venda de tábuas decoradas.

Tábuas montadas na frente do consumidor são tendência nas lojas de queijo da Califórnia. FOTO: Débora Pereira/Profession Fromager

Tags:

Ficou com água na boca?