Paladar

Receitas

Receita

12 receitas com feijão para fugir do carioquinha

Com a variedade de feijões que podem ser encontrados no Brasil, não há motivo para ficar só no carioquinha. Confira receitas com guandu, fradinho, branco e muitos outros

14 de julho de 2016 | 18:54 por Redação Paladar

(As receitas estão linkadas no final do texto)

Muito presente no dia a dia dos brasileiros, o feijão carioquinha é o mais consumido e cultivado do País. Queridinho dos paulistas, sua hegemonia muitas vezes ofusca a enorme variedades de feijões produzidos no Brasil: são mais de 40 tipos, com diferentes tamanhos e cores, cada uma com suas qualidades e particularidades de preparo.

Por exemplo, o feijão-branco dá um caldo claro e vai muito bem frutos do mar. Já o manteiguinha é o feijão do caldo e substitui o carioca muito bem em diversas receitas. Com tantas opções de grãos e preparos, é possível variar e inovar a cada dia.

Para desvendar essa enorme variedade, a repórter Ana Paula Boni, do Paladar, falou ao vivo, em nossa página no Facebook, com o chef Ivan Achcar, estudioso do assunto. Ivan contou um pouco sobre os diferentes tipos de feijão e deu dicas de como prepará-los. 

O chef conta que um erro comum é assumir que o feijão carioquinha é natural do Rio de Janeiro. Na realidade, ele nasceu no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, mas ganhou o apelido de carioca devido às suas rajadas (risquinhos na casca), que se parecem com as calçadas de Copacabana.

Segundo o chef, não dá para fazer os mesmos preparos do carioca e do preto com os feijões de corda e guandu, que não dão caldos grossos. Mas é ainda assim possível usá-los para acompanhar o arroz de cada dia: basta bater uma parte do feijão cozido no liquidificador e voltar esse creme para a panela - o resultado será um caldo grosso e cremoso.

O feijão tropeiro, muito comum em Minas, é feito com feijão jalo, mas pode ser feito com fradinho, como é encontrado na Bahia, devido sua abundância na região. Para fazer salada de feijão, basta separar o caldo e misturar o que tiver disponícel na geladeira, um leque de possibilidades e combinações.

Já o tutu, conta Ivan, é um pirão: purê de feijão batido engrossado com farinha de mandioca. Ele deriva de outro clássico paulistanos, o virado à paulista, herança dos portugueses, que nada mais é do que feijão bem cozido misturado à farinha (se for de milho flocada, fica melhor ainda). 

E o feijão preferido do chef? "O que está no prato!", responde. 

 

Para quem quiser se aventurar na cozinha, selecionamos 12 receitas com algumas das variedades citadas - tem salada de feijão-branco com atum, arroz de feijão guandu com linguiça e até uma receita básica de como fazer feijão, para quem não sabe por onde começar. Confira abaixo (as receitas também estão linkadas abaixo da galeria)!