Paladar

Bebida

Bebida

Só de birra

Heloisa Lupinacci

Ácida, gasosa, amarga e refrescante

Conheça rótulos perfeitos para o calor

05 fevereiro 2014 | 22:44 por Heloisa Lupinacci

Estava quente e o bar que vende cervejas boas perto de casa tinha um baldão promocional. Qualquer cerveja dentro do tambor plástico tinha preço especial. Enfiei a mão no balde e saquei uma Gouden Carolus Classic. O preço estava bom, comprei e fui para casa beber.

Ela é, obviamente, uma boa cerveja, mas é uma belgian strong dark ale – ale belga, forte, escura, com final doce – e estava 36°C. Claro que não harmonizou – não adianta, às vezes a vontade de provar um rótulo precisa dar lugar à prudência (que o diga a Evil Twin Imperial Biscotti Break guardada desde 2013 na minha geladeira esperando o verão dar um tempo).

Com o recorde de calor que vem fazendo, não há amor pela cultura cervejeira que faça descer goles não refrescantes. Não é época de tomar cerveja muito alcoólica ou doce. Há um tripé que faz a cerveja refrescar: ela deve ser ácida, amarga e ter gás. A acidez se desdobra: “A que tiver algo cítrico será mais refrescante ainda”, diz Rene Aduan Jr., sommelier de cerveja.

A doçura, porém, se equilibrada com amargor, pode até descer. “O amargo diminui a percepção do doce”, diz Ronaldo Rossi, sommelier e dono da Cervejoteca. E o álcool, se estiver amparado pela tríade do refresco, até passa também.

Aduan, Rossi, Maurício Beltramelli, do Brejas, e eu indicamos, aqui ao lado, rótulos perfeitos para o calor.

FOTOS: Divulgação

Coruja Extra Viva

Origem: Porto Alegre (RS)

Preço: R$ 28 (1 litro, na Costi)

Estilo: Premium lager

Maurício Beltramelli, o criador do site Brejas e autor de Cervejas, Brejas e Birras, pesquisou tipos de lúpulo para indicar o rótulo ideal. “Que acidez refresca, isso é previsível. O interessante é a refrescância do amargor, que depende do lúpulo. Os mais cítricos acentuam a refrescância. E os dois melhores exemplos são o galena, que está na Coruja Extra Viva, e o nugget, que vai, por exemplo, na Colorado Titãs.”

Avec Les Bons Voeux

Origem: Bélgica

Preço: R$ 26,50 (355 ml, na Puro Malte)

Estilo: Saison

“Fico com a saison Avec les Bon Voeux. Ela é seca, seca, seca, seca, então qualquer amargo faz bum!”, diz Ronaldo Rossi, da Cervejoteca. Essa saison da Brasserie Dupont tem o tripé da refrescância acentuado – é bem ácida, superfrisante e, bom, o amargo faz bum – e, por isso, foge à regra de que cerveja alcoólica não refresca. “Mesmo tendo 8% de álcool, ela é muito refrescante.”

Amazon Taperebá

Origem: Belém (PA)

Preço: R$ 12.90 (355 ml, na CervejaStore)

Estilo: Witbier com cajá

“O cajá fornece uma boa acidez além do paladar cítrico inconfundível. O gole começa ácido, aí vem a fruta, e o final é levemente seco, com retrogosto cítrico”, diz Aduan. “Ela tem corpo leve, alta carbonatação e textura vivaz.” Aduan também indica uma witbier belga, a Grisette Blanche, da Brasserie St.-Feullien. “Começa cítrica e depois tem um levíssimo floral. A textura é ‘crispy’.”

All Day IPA

Origem: Estados Unidos

Preço: R$ 15,50 (355 ml, na Beer4U)

Estilo: Session IPA

Toda vez que você ler session na frente do nome de um estilo isso quer dizer que é uma versão menos alcoólica. Essa IPA tem 4,7% (para efeito de comparação, a Centennial IPA, da mesma cervejaria, a Founders, tem 7,2%). Como o nome sugere, é uma cerveja para todo dia. Leve, cítrica – mais para grapefruit do que para limão – e seca. Deixa a boca bem fresca e limpa.

Ficou com água na boca?