Paladar

Bebida

Bebida

Só de birra

Heloisa Lupinacci

Dá para ter cerveja boa no dia-a-dia

É possível encontrar garrafas de 600 ml por até R$ 16

02 março 2016 | 17:30 por Heloisa Lupinacci

Existe uma cerveja para cada ocasião. O que às vezes atrapalha é o preço. As cervejas, especialmente as importadas, estão caras. Há alguns anos, dava para sempre ter, por exemplo, uma Brooklyn na geladeira – a garrafa de 355 ml custava menos de R$ 10. Hoje custa quase R$ 20. A cerveja do dia-a-dia sofreu.

Quem comprava especiais voltou à categoria “convencional premium” (a dupla Heineken e Stella, onipresente em cardápios de restaurantes sem carta de cervejas). Mas, a não ser que vá reunir amigos para beber a tarde inteira (aí é convencional premium mesmo ou barril de artesanal, o que exige planejamento), dá sim para continuar tomando cerveja especial no dia-a-dia. Escolhi cervejas boas, fáceis de achar e que custam até R$ 16 por 600 ml (a Tupiniquim custa R$ 26 o litro, o que dá R$ 15,60 por 600 ml).

 

  Foto: Divulgação

THEREZÓPOLIS OR BLANC

Origem: Teresópolis (RJ)

Preço: R$ 12,90 (600 ml, no Zaffari)

A Therezópolis é uma boa companhia para o dia-a-dia. Essa é uma witbier (cerveja de trigo estilo belga com casca de laranja e semente de coentro) com a laranja em primeiro plano e o coentro discreto. É mais seca do que witbiers mais conhecidas e bem mais barata (na prateleira ao lado, a Vedett estava R$ 17,90, 330 ml). 

 

  Foto: Divulgação

BAMBERG HELLES

Origem: Votorantim (SP)

Preço: R$ 14,20 (600 ml, na Bamberg Express)

A Bamberg faz boas  cervejas a um preço possível (inclusive, se for reunir amigos, os barris de 5 litros e 10 litros são bom negócio). Essa helles é um coringa: leve, mas nada sem graça, é uma versão vitaminada da cerveja comum. E é uma exceção aqui: não foi comprada no supermercado, mas na loja da Bamberg. 

 

  Foto: Divulgação

TUPINIQUIM RED ALE

Origem: Porto Alegre

Preço: R$ 26 (1 litro, no Zaffari)

A linha de entrada da Tupiniquim vem nessas garrafas de 1 litro e tem diversos estilos (a curitiba Way também tem, mas as garrafonas andam sumidas). Essa red ale é ótima para noites frias ou tardes de churrasco. É bem amarga, mas tem presença marcante do malte, com toques de caramelo.

 

  Foto: Divulgação

DAMA IPA

Origem: Piracicaba (SP)

Preço: R$ 14,25 (600 ml, no St. Marche)

Aromática, fresca, refrescante, amarga e limpa: essa cerveja é uma delícia. É presença certeira e feliz na geladeira de amantes de lúpulo. A linha básica da Dama, com bons exemplares a bons preços sempre, tem também weiss (cerveja de trigo de estilo alemão), stout, pilsen e munchen (para fãs de notas de malte).

***

SAIDEIRA

Esta é a última vez que faço birra. Estou deixando a coluna e o jornal. Na primeira coluna que fiz, em 27 de fevereiro de 2014, a foto principal, de um punhado de cervejas curitibanas, tinha um papelzinho com um verso anotado: “Coração é coisa rara,/ Coisa que a gente acha./ E é melhor encher a cara.” Dois anos e centenas de birras depois, continuo com Paulo Leminski e não abro: é melhor encher a cara. E isso vou seguir fazendo. Sempre reencontrando os bons corações que achei aqui.

Ficou com água na boca?