Paladar

Bebida

Bebida

É de birra. Mas não só

Carolina Oda

Depois do growler... Muito prazer, crowler!

Acaba de chegar em SP a primeira máquina de enchimento de crowler, que enlatada o chope na hora, para o cliente levar para a casa

02 dezembro 2016 | 20:04 por Carolina Oda

O bar Ambar acaba de trazer a primeira máquina de enchimento de crowler para São Paulo. A palavra surge da junção de can (lata, em inglês) com growler, a garrafa/cantil que você compra uma vez e leva para o bar encher com chope, pagando somente o líquido. Crowler é chope enlatado ao vivo e em cores, é cerveja para viagem, embalada numa lata com o rótulo que você escolhe.

Para variar, foi ideia de americano, povo que dita as tendências do mundo também quando o assunto é cerveja. Creditam a iniciativa à cervejaria Oskar Blues’s que, só em 2015, vendeu 1.3 milhão de crowlers. Atualmente, já existem por volta de mil máquinas funcionando por lá e, obviamente, esse número não vai parar de crescer, já que a lata está conseguindo se firmar como a melhor embalagem para a conservação da cerveja. 

 

  Foto: Marcio Fernandes|Estadão

Aqui no Brasil, a cervejaria curitibana Way Beer foi a pioneira, apresentando um equipamento para encher latas de 1 litro no Festival da Cerveja de Blumenau deste ano. 

Pode aguardar que, pelo visto, já já isso fica muito mais comum por aqui, mesmo tendo esse nome complicadinho e tão desconhecido. Afinal, o crowler significa ter a cerveja que você quiser, fresquíssima, com vedação perfeita, sem sofrer com incidência de luz, para carregar para onde for, sem medo de quebrar e sabendo que é muito maior a chance de ser reciclada depois. Boa opção para quem gosta do conceito do growler, mas acha muito grande ou pouco prático - o growler tem que ser carregado até o lugar, contém pelo menos 1 litro e tem que ser tomado inteiro depois de aberto, é de vidro, não tem vedação 100%...

Com toda essa praticidade, eu imagino que seja bem difícil alguém comprar um crowler e deixar um ano parado em casa. De qualquer forma, não custa reforçar a informação: tome o quanto antes e mantenha refrigerado. Apesar de todo o cuidado que tomam na hora de enchê-lo, esterilizando a lata e injetando gás carbônico antes de servir o chopp para expulsar o oxigênio - inimigo da cerveja, é um enchimento manual, artesanal, num ambiente diferente de uma engarrafadora na cervejaria. Além de que, chope, na grande maioria das vezes ou o que vale para todos os nacionais, não é pasteurizado - processo que ajuda na conservação da cerveja. Lidar com cerveja fresca é como lidar com comida fresca. 

Como a máquina canadense acabou de chegar por aqui, ainda estão sendo feitos os testes para ver por quanto tempo a cerveja enlatada pode ficar na geladeira. Segundo os americanos, até 1 mês refrigerado é bem garantido, considerando, é claro, que a cervejaria cumpriu todos os seus cuidados antes, na sua parcela de responsabilidade na validade. 

O preço é o valor do chopp de 310 ml + R$3, sendo que a lata tem 350 ml.

SERVIÇO

Ambar

Rua Cunha Gago, 129, Pinheiros

Telefone (11) 3031-1274

Horário de funcionamento: terça e quarta das 18h às 0h; quinta e sexta das 17h às 1h; sábado das 15h às 1h

Ficou com água na boca?