Paladar

Bebida

Bebida

Só de birra

Heloisa Lupinacci

Desejos cervejeiros para o ano que começou

Cerveja mais fácil de comprar, com mais frescor e com menos frescura é o que eu quero em 2019

02 de janeiro de 2019 | 18:25 por Heloisa Lupinacci

Para esses dias de calor, em que o bom é ter a geladeira cheia de cerveja, uma dica é a Tupiniquim Summer IPA. Achei essa cerveja no supermercado Zaffari, em São Paulo, por R$ 5,95. É o preço de duas latas de uma cerveja convencional “premium” (tipo Brahma Extra). 

 

  Foto: Tupiniquim

Você trocaria duas cervejas ok por uma deliciosa?  A Tupiniquim Summer IPA tem 5% de teor alcoólico, é refrescante, amarguinha, bem cítrica. Fácil de beber e cheia de personalidade. Ela simboliza meus desejos cervejeiros para o ano de 2019.

1. Cerveja mais fácil de comprar

É maravilhoso ir ao Empório Alto dos Pinheiros, ouvir do Paulo Almeida o que há de mais interessante ali e ver todo mundo do meio cervejeiro sentado trocando impressões. Assim como é incrível ir à Cervejoteca, trocar ideia com Ronaldo Rossi, outro que sempre tem na ponta da língua uma indicação matadora. Mas nem sempre dá, nem todo mundo está no centro expandido de São Paulo. Torço por mais cerveja boa em mais lugares, para você poder voltar para casa com meia dúzia de rótulos bacanas depois de dar aquele pulo no supermercado para comprar o detergente que acabou (foi assim que voltei para casa com essa Tupiniquim).

 

2. Cerveja em mais faixas de preço

Minha cerveja favorita custa mais de R$ 150 a garrafa de 375 ml. A que eu mais bebo custa R$ 3,90 pelo mesmo volume. A oferta de rótulos está espalhada nesse intervalo, com uma concentração na casa dos mais de R$ 20 por 300 ml. Faltam cervejas a R$ 5, R$ 6, R$ 7, como esta summer IPA. Eu não troco seis Heineken por uma lata de IPA. Mas troco duas fácil. E é assim que sempre tem Maniacs (summer ale ou IPA, R$ 6, 350 ml) na geladeira de casa, ao lado de umas garrafas de Paulistânia Largo do Café (oatmeal stout de R$ 13, 500 ml). 

 

3. Mais frescor, menos frescura

Sou suspeita, mas considero tomar uma cerveja gostosa por acidente uma das melhores coisas da vida. Especialmente se estiver com alguém para comentar sobre ela. Claro que precisamos estar atentos às sutilezas das notas aromáticas, às variedades de lúpulo, aos defeitos que podem aparecer na bebida e às modas que pintam ano a ano. Mas, no fundo, a graça é tomar cerveja boa com gente legal e acompanhar uma cena que só cresce e fica mais interessante. Um 2019 com muita cerveja boa para nós.

Ficou com água na boca?