Paladar

Bebida

Bebida

Enfrente o azedume no copo

O primeiro gole em uma cerveja azeda pode ser o último. É um gosto selvagem: vinagre balsâmico, madeira (algumas são maturadas em barris), aromas de frutas, uma doçura marcante e, quando o gole termina, um estalo final de sal. Há quem diga que azedume demais é defeito, que em vez do ‘Ahh’ entoado com satisfação refrescante, produz um ‘Uhh’ com formação de careta retorcida. Não nestas cervejas.

17 abril 2013 | 23:10 por danielmarques

Intencionalmente pensadas para travar a língua e comumente caracterizadas por autores especializados como ‘complexas’ – o que de fato são –, as cervejas azedas desafiam quem bebe.

Outro epíteto, de “contaminadas”, também pode assustar. Mas as mais famosas cervejas azedas do mundo, as lambics, produzidas nos arredores de Bruxelas, na Bélgica, são como são em parte por causa das bactérias crescidas nas cervejarias e em seus entornos, que interferem na fermentação das cervejas, dando gostos peculiares às receitas.

Participaram dessa degustação – sem fazer caretas – o sommelier de cervejas e charcuteiro René Aduan e o mestre cervejeiro André Leme, da cervejaria Urbana. Aos copos!

Duchesse de Bourgogne

Origem: Bélgica

Preço: R$ 23,90 (330 ml) na beeronline.com.br

Teor: 6,2%

Cerveja para iniciantes nas ácidas, com herbal suave, frutas escuras e balsâmico. Boa para anteceder sobremesas.

Aromas: leve caramelo, tostado e vinagre balsâmico.

Vai bem com: queijos maturados.

Grand Cru Rodenbach

Origem: Bélgica

Preço: R$ 63,99 (750 ml) na estacaocerveja.com.br

Teor: 6%

É uma cerveja flexível e vai bem com sobremesas e pratos principais.

Aromas: frutas vermelhas, madeira e tostado.

Vai bem com: cheesecake clássico e bisteca à florentina.

Vichtenaar

Origem: Bélgica

Preço: R$ 19 (330 ml) no Empório Alto dos Pinheiros (R. Vupabussu, 305, Pinheiros, 3031-4328)

Teor: 5,1%

Pode lembrar cidra pelo cheiro de maçã, mas o balsâmico descarta a ideia. Azedume comportado e doçura alta.

Aromas: marzipã e madeira.

Vai bem com: peito de pato com vinho do porto e cartola de banana.

Bacchus

Origem: Bélgica

Preço: R$ 28 (375 ml) no Frangó (Lgo. da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168, Freguesia Do Ó, 3932- 4818)

Teor: 4,5%

Cheiros suaves de malte doce e frutas secas. Cítrico também aparece no cheiro e na língua; tem gosto mineral como os vinhos Chablis.

Aromas: álcool, tostado e couro leve.

Vai bem com: hambúrguer com brie e bombom trufado.

Bourgogne des Flandres Brune

Origem: Bélgica

Preço: R$ 14,90 (330 ml) na nonobier.com.br

Teor: 5%

Tem sabores surpreendentes, mesmo para o estilo. O clássico balsâmico divide a língua com chocolate e caramelo.

Aromas: mel, leve tostado de malte e madeira.

Sabores: amargor baixo, doçura moderada e salgado discreto.

Vai bem com: galeto com molho de chocolate, patê de campanha e peito de pato com mel trufado.

>> Veja todas as notícias da edição do Paladar de 18/4/2013

Ficou com água na boca?