Paladar

Bebida

Bebida

Saca essa rolha

Isabelle Moreira Lima

Já bebeu vinho brasileiro neste ano? Dados mostram queda de 30% nas vendas

Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) aponta importação de vinhos mais baratos como um dos motivos da retração

26 abril 2017 | 19:09 por Isabelle Moreira Lima

Quantos vinhos brasileiros você bebeu de janeiro até agora? E quanto eles custaram? Agora, quantos vinhos importados você provou no mesmo período e por que preço? Se as suas respostas são desfavoráveis ao vinho brasileiro, você é parte de uma estatística. Nesta semana, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) anunciou uma queda de 30% nas vendas dos vinhos feitos no País no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. 

Os motivos que causaram a redução já assolam a indústria brasileira há anos: alta carga tributária, altos custos na cadeia produtiva, queda no poder de compra. Além da quebra de safra de 57% no ano passado, pesou o esforço dos importadores em buscar vinhos mais baratos desde a mudança de IPI (que passou de um valor fixo para uma porcentagem no preço da garrafa). Isso fez com que 84,6% dos vinhos finos vendidos no País fossem, justamente, importados.

Concorrência externa se soma a altos custos, tributação e crise econômica

Concorrência externa se soma a altos custos, tributação e crise econômica Foto: Gilmar Gomes|Ibravin

A maioria das vinícolas brasileiras sentiu o baque. A Pizzato citou a preocupação dos varejistas, reticentes em repor estoques. “Os dois primeiros meses do ano foram estranhos, mas já começou a melhorar”, afirma Jane Pizzato, que responde pela área comercial em São Paulo. Sem ter como baixar preço, a Pizzato focou em sua linha de custo-benefício, a Fausto. 

Para Juliano Carraro, da Lídio Carraro, o grande varejo é mais cruel para os brasileiros, ao fechar contratos diretamente com vinícolas de fora. Já nas lojas especializadas e pequenos empórios, ele diz, o tratamento é diferente. 

O diretor-geral da Vinícola Aurora, Hermínio Ficagna, acostumado aos altos e baixos da indústria, disse que está de olho nas gôndolas, tirando o que não interessa ao consumidor, ajustando os produtos.

Chama a atenção o caso das vinícolas que detêm importadoras. A Casa Valduga, que importa a Domno, sentiu queda em vinhos de alto valor nacionais e importados. “Caíram as vendas dos Brunellos, subiram as das novas importações com foco no preço”, diz a diretora comercial Juciana Casagrande. Para a Decanter, importadora dos donos da vinícola Hermann, “o consumidor prefere comprar um vinho importado do que um brasileiro na mesma faixa de preço, por questão de status”, diz o diretor Edson Hermann.

Ficou com água na boca?