Paladar

Bebida

Bebida

Já ouviu falar em haiboru?

Drinque enlatado, que combina uísque à água com gás, ganha novo sabor na Japas Cervejaria

06 de abril de 2021 | 11:08 por Danielle Nagase, O Estado de S.Paulo

Talvez você não tenha ligado a pronúncia ao drinque, mas haiboru - lê-se rai-bo-ru - nada mais é do que o jeitinho japonês de pronunciar highball, nome da família de coquetéis que combinam um destilado a um carbonatado. O termo, acredita-se, junta as palavras high (alto, em inglês) e ball (gíria inglesa para o clássico copo de uísque) - e é justamente em copos altos, com bastante gelo, onde se recomenda servir esse tipo de bebida.

Novo haiboru da Japas, com uísque, água com gás e dekopon.

Novo haiboru da Japas, com uísque, água com gás e dekopon. Foto: Bruno Fujii

Bem, isso até 2019, quando a Japas, cervejaria artesanal, decidiu incluir no portfólio dois haiborus enlatados, para beber direto da latinha. Eles são feitos com uísque e água com gás, como são populares no Japão, e parecem na versão clássica, só com os dois ingredientes, e com yuzu, aquele limão japonês de acidez acentuada e que é puro perfume.

Agora em 2021, Maíra Kimura, Yumi Shimada e Fernanda Ueno, que tocam a cervejaria, lançaram também o haiboru de dekopon, uma tangerina japonesa de doçura saliente, que aparece mais para o final gole, no retrogosto. Para saborizar o coquetel, elas usam extrato natural obtido da casca dos cítricos. As três opções são oferecidas em belas latas de 310 ml e com 9% de teor alcoólico. Confira onde comprar aqui.

Quem também importou essa moda, que é febre na terra do sol nascente, foi o chef Thiago Banãres, que fez questão de incluir haiborus entre as pedidas do seu novo Kotori. Entre os coquetéis criados por Alex Mesquita, tem o clássico com uísque, soda e limão-siciliano - mas não só. Na carta, os destilados variam - o Meron Chu Hai leva shochu de cevada (no lugar do uísque), melão e soda -, assim como os gaseificados - no Arashi, com rum, gengibre e angostura, as borbulhas ficam por conta do ginger ale.   

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?