Paladar

Bebida

Bebida

Levemente tostadas

Antes do desenvolvimento das técnicas de produção de maltes claros, no século 18, boa parte das cervejas comerciais poderia ser chamada de brown ale, segundo o escritor cervejeiro Alastair Gilmour anotou no Oxford Companion to Beer. Os processos anteriores de malteação deixavam os grãos com coloração mais escura, o que, consequentemente, refletia na cerveja. Historicamente, o estilo tornou-se bastante associado à Inglaterra, mas no século 20, como outras especialidades cervejeiras, a brown ale perdeu espaço para as lagers claras.

17 janeiro 2013 | 12:10 por robertofonseca

E acabou resgatada por produtores norte-americanos, ganhando versões com mais corpo e lúpulo na nova terra. Além das receitas abaixo, há ainda a americana Anchor Brekles Brown e as brasileiras Backer Brown, Mistura Clássica Mississippi Brown Ale, Klein Brown Ale e Rasen Bier Bagual Brown Ale.

Tilburg Dutch Brown Ale

Origem: Holanda

Preço: cerca de R$ 16 (330 ml)

Ficou com água na boca?

Ligada à mesma empresa que produz a La Trappe, tem 5% e notas de toffee e caramelo, além de adocicado perceptível na boca com um quê de malte tostado e alcoólico.

Vai para o copo? Tem bom corpo, mas nota tostada poderia ficar um pouco mais forte no aroma.

Rogue Hazelnut Brown Nectar

Origem: EUA

Preço: cerca de R$ 18 (355 ml)

Cerveja de 6% com avelã. O ingrediente domina o aroma. Caramelo e adocicado também vão para o nariz,

Na boca, percebe-se um quê tostado/torrado e alguma acidez.

Vai para o copo? Sim. Apesar de ser a mais cara do grupo, entrega o que promete sem exageros.

Newcastle Brown Ale

Origem: Inglaterra

Preço: cerca de R$ 15 (500 ml)

Cerveja que tem legião de fãs no Brasil, tem 4,7% de teor alcoólico. Aroma e sabor pautados por notas

de malte, caramelo e toffee. Na boca, percebe-se residual adocicado presente e final seco sutil.

Vai para o copo? Sim, mas poderia ter notas de malte mais presentes.

Brooklyn Brown Ale

Origem: EUA

Preço: a partir de R$ 8,60 (355 ml)

Produzida pela cervejaria nova-iorquina, tem 5,6%. Seu diferencial está na presença de notas de lúpulo

– cítrico e floral – perceptíveis, mas não exageradas no aroma e sabor.

Vai para o copo? Sim. É uma boa cerveja e tem o melhor preço proporcional.

>> Veja todos os textos publicados na edição de 17/1/13 do ‘Paladar’

Ficou com água na boca?