Paladar

Bebida

Bebida

É de birra. Mas não só

Carolina Oda

Limoncello sai do freezer direto para o seu drinque

Licor de limão-siciliano tradicionalmente consumido no fim das refeições, ele virou ingrediente de drinques em casas da cidade

21 dezembro 2016 | 19:02 por Carolina Oda

O fim do ano vai chegando e os encontros familiares de muita comilança na casa das avós vão ficando mais frequentes. No final da refeição, alguém vai até o freezer e logo aparece um limoncello na mesa para ajudar na digestão. Isso é quase invariável se for casa de italiano e, muitas vezes, o licor é feito a partir de uma receita da própria família, de maneira bem caseira, artesanal.

Limoncello é um licor de limão-siciliano, acredita-se que tenha sido criado com os limões de Sorrento na metade do século 19, no sul da Itália. A sua fama de digestivo saiu da terra das nonas e o costume de servi-lo após o jantar chegou a outros países.

Porém, incentiva-se cada vez mais o surgimento de outras ocasiões de consumo: seja bem gelado antes da refeição; durante, também gelado e harmonizando uma mussarela de búfala com manjericão, por exemplo; ou como ingrediente de um bom drinque, sendo bons jeitos de continuar o hábito de consumo do tradicional licor nas novas gerações.

 

  Foto: Alex Silva|Estadão

Muitas vezes é misturado a um vinho espumante, bebida refrescante que combina com o cítrico extremo do licor. Mas existem outras ideias, como misturado a mel e soda, numa bebida bem leve, diluída e, consequentemente, com pouco álcool. Ainda pode ser despejado sobre sorvetes ou sobremesas de frutas. 

Pedi dicas de coquetéis feitos com o licor para Dudu Pereira, sócio do Zena Caffè e do Il Cello, marca de limoncello artesanal brasileiro que já nasceu com a proposta de aumentar o consumo no mundo dos drinques. Dudu deu duas receitas servidas no Zena Caffè: sgroppino, que combina o licor com sorvete de limão, e o cello spritz, que leva prosecco. Mas tenha parcimônia no uso. Senão, vai acabar com a safra do nono.

 

Ficou com água na boca?